Resenha | O peso da conquista, de Mara Jacobs

 

Um novo corpo... Uma nova vida... Uma velha chama?

Sinopse: Lizzie Hampton é apenas uma sombra de seu antigo eu. Tendo perdido metade do seu peso corporal, ela está indo para sua pequena cidade natal para testar seu novo corpo e uma antiga chama.
Apenas uma aventura inofensiva para recuperar sua autoconfiança antes de retornar à cidade e ao novo homem em sua vida.
Mas o plano de Lizzie tem alguns percalços no caminho.
Finn Robbins não pode acreditar que Liz está de volta à cidade. Desesperado para ser seu primeiro homem dezoito anos atrás, ele nunca teve a chance.
Agora ela está de volta, e ele finalmente pode riscá-la de sua lista de desejos.
Mas seus amigos, seu filho e a misteriosa Annie podem ter algo a dizer sobre isso.


Lizzie está de volta à cidade que nasceu e cresceu e tem um plano: dar uns pegas no ex-namorado antes durante suas férias e depois voltar para a cidade grande e entrar em um relacionamento sério com alguém que ela acha adequado às suas expectativas.
Parece simples, não?
Só que não.
O peso da conquista foi uma das minhas escolhas para a curadoria do #setembrohot de 2020 e, minha nossa senhora da raiva literária, que raiva que Carol e eu passamos. Livro da Cherish Books e eu pensei "gente, só tem romance lá e pela capa tem que ter uns momentos hot". Bem, os momentos hots estão lá, mas não conseguem apagar o conteúdo extremamente gordofóbicos desse livro, e para mim como mulher gorda, foi um chute na canela.
Eu como. Oh, acredite em mim, eu como. — Foi dito com força e repugnância.
Meu intuito ao fazer um resenha críticas em um livro não é fazer você, leitor, parar de ler, mas de ver com outros olhos a problemática em certas obras. Felizmente a Carol aqui no Pausa me dá esse espaço, mas sei que não em todos os blogs e meios que fazem resenhas de livros que têm essa liberdade e, às vezes, nem querem fazer resenhas negativas pois poderiam lhes custar parcerias, mas uma parceria custa tanto ao ponto de te fazer afogar seu caráter? Então... Voltemos para a resenha. 
Tendo obtido um bom sol nos últimos dias, ela estava empolgada com os shorts e pronta para mostrar as coxas, mas não pôde deixar de imaginar a massa passando pelo seu sistema em tempo recorde para se aderir diretamente à parte interna das coxas e culotes. Os shorts foram descartados.
A Lizzie tinha tudo para ser uma personagem a ser almejada! Estudou, boa moça, construiu do zero a própria empresa de relações públicas, focada, mas a recorrente dependência da aprovação masculina a levou a uma compulsão alimentar e, novamente, depois, a levou a perder todo o peso e ir atrás de um feliz para sempre. Obcecada é uma melhor palavra para Lizzie.
Um dos planos de Lizzie é dar uns pegas no ex-namorado (que virou ex por uma falha de comunicação de ambas as partes), provar para si que pode gozar além do vibrador e depois voltar para a cidade grande e um partidão ($$$) com quem trabalha. Ela só não contava em encontrar um Finn mais velho, pai, cheio de responsabilidades com a própria família e com surrado pela vida. Tudo que ela vê, à primeira volta, é um cara que não fez faculdade, um "perdedor", um cara sem ambição... Mas Finn ainda é apaixonado pela Lizzie e como ela vai passar os próximos três meses na cidade eles entram em um acordo: casual. 
Quando foi a última vez que você viu um atleta profissional ou um político de braços dados com uma gorda enorme?
Até conseguir chegar a pegação leva tempo viu, gente... Demooora! Como eu disse acima: tem suas cenas hots? Tem, mas também tem um drama familiar e Lizzie se vê mais envolvida com essa vida na cidade pequena e essas doces (a maioria) pessoas. Talvez uma vida com muito dinheiro, cheia de amigos celebridades, amigas maravilhosas desde a infância, um apartamento chique e uma empresa bem sucedida não seja TUDO.
Fiquei muito confusa na narrativa e intrigada em tentar ver como essa mulher, que tinha tudo para estar com a cabeça no lugar, formula um plano tão bobo, de usar alguém do NADA e disposta a passar por cima de sentimentos básicos só para se firmar. Será se li anorexia, bulimia ou tudo combinado com compulsão alimentar? No final, ficamos com a conclusão que a protagonista precisava de terapia. MUITA terapia e fiquei receosa de que, afrente na narrativa da ficção, se fosse o caso da protagonista engravidar e ganhar um pouco de peso a mais por qualquer razão que fosse, ela surtaria. 
Gente, não é normal almejar estar doente para ser magra. O mais triste é ver que a autora, uma mulher gorda, continue reproduzindo esses estereótipos de pressão visual. O fato de muita leitora (MULHERES) não verem a problemática desses discursos de visual é tudo me preocupa imensamente.
Carol e eu discutimos em uma live que virou IGTV, se quiser assistir, tem muita coisa que coloquei aqui.
Se seu argumento é "não gosta, não lê", ele não vai colar aqui. Para eu poder ter opinião, preciso ler, não é? Então...
Ainda vou seguir lendo os próximos livros da série Conquistas sim e espero que possa desligar a Renata Problematizadora, caso haja algo por lá.
Ademais, fica a dica de leitura: O mito da beleza, da Naomi Wolf.


O peso da conquista
Série Conquistas - Livro 1
Autora: Mara Jacobs
Editora: Cherish Books
Lançamento: 28 de Março de 2020
Modelo / Páginas: Ebook / 337
Compre na Amazon o e-book (ou assine o Kindle Unlimited e leia por lá)
Sobre Mara Jacobs:
Mara Jacobs é autora da série Conquistas, bestseller no NYT e USA Today. Depois de se graduar na Universidade Michigan State em Propaganga, ela passou vários anos trabalhando em jornais em vendas e produção. Ela escreve mistérios com romance, thrillers com romance, e romances com... você entendeu.
Renata Pamplona
PUBLICADO POR

"Lendo e resenhando muita coisa da cultura pop. Inevitavelmente Geek e apaixonada por mais personagens fictícios que pode contar." Contato: umapamplona@gmail.com

Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As