Verity | Será que o mundo está preparado para nova Colleen?



Cadelinha da Colleen Hoover sim!

Esse era para ser só mais um diário de leitura de mais uma bendita leitura coletiva que eu inventei do nada, mas vamos combinar que não teve como ser assim. Ler Verity foi uma experiência muito diferente principalmente para mim, leitora da Colleen a tantos anos. Não estava preparada para o que me deparei nesse livro.

AVISO! SINOPSE COM POSSÍVEIS SPOILERS.

Sinopse: O amor é capaz de superar a pior das verdades? Verity Crawford é a autora best-seller por trás de uma série de sucesso. Ela está no auge de sua carreira, aclamada pela crítica e pelo público, no entanto, um súbito e terrível acidente acaba interrompendo suas atividades, deixando-a sem condições de concluir a história... E é nessa complexa circunstância que surge Lowen Ashleigh, uma escritora à beira da falência convidada a escrever, sob um pseudônimo, os três livros restantes da já consolidada série. Para que consiga entender melhor o processo criativo de Verity com relação aos livros publicados e, ainda, tentar descobrir seus possíveis planos para os próximos, Lowen decide passar alguns dias na casa dos Crawford, imersa no caótico escritório de Verity – e, lá, encontra uma espécie de autobiografia onde a escritora narra os fatos acontecidos desde o dia em que conhece Jeremy, seu marido, até os instantes imediatamente anteriores a seu acidente – incluindo sua perspectiva sobre as tragédias ocorridas às filhas do casal. Quanto mais o tempo passa, mais Lowen se percebe envolvida em uma confusa rede de mentiras e segredos, e, lentamente, adquire sua própria posição no jogo psicológico que rodeia aquela casa. Emocional e fisicamente atraída por Jeremy, ela precisa decidir: expor uma versão que nem ele conhece sobre a própria esposa ou manter o sigilo dos escritos de Verity?
Quando o burburinho começou e as opiniões foram divididas, aquela velha pergunta não saia da minha cabeça "será que eles estão preparados para a mudança da escrita da Colleen?", pois é eu acho que não. Eu me deparei com uma das melhores leituras que já fiz na vida, esse é um livro que entra para seleta lista de que possivelmente não irei ler novamente, mas sim virou um dos meus livros preferidos da vida.

Ela vem flertando com outros gêneros literários a muito tempo (desde Too Late), só que uma boa parcela do público não vem aceitando muito isso. Conhecida como a rainha do New Adult (errado né?) mas seria melhor que fosso intitulada como rainha do drama, porquê se tem uma pessoa que sabe escrever um drama é essa mulher. E isso vem muito da vivência que ela tem na vida como assistente social, e talvez todo esse flerte com outros gêneros principalmente o público brasileiro não tenha aceitado muito bem as mudanças dela.

Verity é um livro que fala sobre um livro, onde se você prestar bem atenção vai achar muitos traços da da própria Colleen tanto na Verity quanto na Lowen em algumas partes, e por isso ele se torna tão perturbador para quem conhece um pouco da história da autora. 


Quando você se depara com um livro que conta a história do vilão, nem todo mundo vê com bons olhos, principalmente se no caso for uma vilã e que essa vilã vá desconstruir todo o endeusamento pela maternidade como acontece no livro. O publico não está pronto para isso, não está pronto para ler uma mulher fazer tudo isso, e não está pronto para quem sabe ser enganado por essa mulher no final da história. Afinal o terror é patriarcal e é muito mais fácil aceitar que o homem foi o vilão, já que a mulher nasce com esse instinto protetor.

Ver uma mulher escrever sobre tudo isso é libertador! Me faz querer saber mais e mais onde a mente dessa autora pode parar.

Outro ponto que vem dando o que falar foi que o final é bem aberto, vai te fazer pensar realmente se o que você leu durante todo o livro é real ou simplesmente foi manipulado como todas as outras pessoas. Eu particularmente amo finais assim, eles me fazem pensar muito mais e faz a minha imaginação criar teorias das mais loucas possíveis. Entendo quem gosta do final bem fechadinho, mas pensa comigo ia ser muito chato e muito ok se não tivesse aquela carta não é? Fora que ela te deu milhões de possibilidades, onde todo mundo continua suspeito de tudo! 


Menina, eu cheguei a desconfiar até do filho deles. O que foi aquela cena dele assustando a Lowen quando ela chegou na casa da Verity? Creio em Deus pai ...

E por falar nele, viu a surpresinha que a Colleen está escrevendo? Ela começou a escrever a história do Crew (o menino endemoniado!) e estou esperando nada menos do que alguma coisa relacionada com o sonho que a Lowen teve dele mais velho.



Mas é aquilo né, não contente em desgraçar a nossa cabeça com Verity, CoHo resolveu avisar que esse semestre tem mais livro novo, e dessa vez um Romance Paranormal chamado "Layla", e eu já estou como? Morrendo de medo e morrendo de vontade de ler, preciso saber onde essa mulher consegue chegar. 

Bom foi isso, um pequeno desabafo e um pedido, abra o coração e aceite que o seu autor está evoluindo e escrevendo coisas incríveis mesmo que seja fora da sua zona de conforto. E se quiser a nossa resenha de Verity é só clicar aqui e aproveitar. Até a próxima!
Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As