Resenha | The Man in the black suit - Sylvain Reynard



Meu mais novo favorito!

Ok, vocês me perdoam por ter demorado tanto a ler esse livro? Eu realmente estou apaixonada, e muito arrependida de não ter lido antes.

Sinopse: A brasileira Acacia Santos se destaca em seu trabalho como concierge no prestigiado Hotel Victoire em Paris. Quando seu colega sênior é atacado e enviado ao hospital, ela é encarregada de servir um dos hóspedes mais misteriosos e atraentes do hotel. Nicholas Cassirer chega ao hotel sob um nome fictício a cada três meses. Normalmente, ele permanece na suíte da cobertura com uma bela companheira, mas nesta ocasião, ele chega sozinho e está descontente em ter que lidar com alguém novo. Um jogo de inteligência começa quando ele testa a experiência de Acacia com uma série de demandas quase impossíveis. Sua inteligência e criatividade batem com os desafios, ganhando seu respeito. Eles entram em acordo até Acacia descobrir uma famosa pintura roubada em sua suíte. Sentindo-se obrigada a denunciar sua descoberta, ela contata com um ex-namorado que trabalha para a elite BRB, uma unidade de aplicação da lei francesa que lida com arte roubada. Nicholas é questionado pela polícia e liberado quando se descobre que a pintura é uma reprodução. Irritado com seu comportamento, o supervisor de Acacia a rebaixa, ameaçando demiti-la e com isso o cancelamento de sua autorização de trabalho. Mas Acacia já atraiu a atenção de Nicholas. Sentindo remorso pela possível perda do emprego de Acacia por sua causa, ele a oferece uma escolha – ela pode esperar até que seu supervisor a demita, ou ela pode deixar a cidade das luzes para trás e se tornar sua assistente pessoal. Acacia inicialmente recusa sua oferta, mas Nicholas é persistente. Ele se revela um homem que adquire em silêncio arte roubada para restaurá-la aos seus legítimos donos. Diante de dívidas familiares crescentes e a possibilidade de demissão e deportação, ela concorda em trabalhar para ele. Nicholas abre um novo mundo de beleza e intriga para Acacia enquanto viajam pelo mundo. Logo, a linha tênue entre empregado e assistente é borrada, e as duas pessoas solitárias embarcam em um relacionamento apaixonado. Segredos e perigos aparecem quando Nicholas e Acacia tentam resolver o mistério de uma peça de arte roubada. Mas Acacia pode revelar-se o mistério mais perigoso de todos.

Quem me conhece sabe sou apaixonada poer tudo que o Sylvain produz e quando soube que ele estava escrevendo um livro em homenagem aos leitores brasileiros, fiquei empolgada e louca para ler. 

Mas a probabilidade desse livro chegar ao Brasil era quase zero na época, já que a editora que publicava os livros dele aqui se recusou a publicar esses. Então meio que ficou em segundo plano, até que Renata chegou recentemente e falou que eu precisava ler! Então veio aquela cuíra e corri para conferir.
“Sinto muito pelo mundo ser tão sombrio a ponto da humanidade de alguns causar choque e surpresa.”

 A primeira coisa que você tem que colocar na cabeça quando começa a ler uma livro do Sylvain é que ele fala de espiritualidade como ninguém, não vá esperando ler sobre alguma religião específica, porquê aqui não vai ter, ele vai te dar todos os lados e te emocionar em cada palavra.

E é claro ele vai falar de história e arte como só ele sabe fazer, mas diferente dos outros livros dele, esse é frenético e com uma pitada de suspense que nunca tinha visto ele escrever, muitas vezes me senti em um livro do Dan Brown com a narrativa tão frenética. E aqui também ele fala sobre imigração com um cuidado e maestria, que muitas vezes me deixou emocionada.
"Você é de Portugal Mademoiselle?" "Brasil."
 Eu não vou falar muito sobre a trama, já que se trata de um suspense policial, qualquer coisa a mais que eu fale vai acabar te dando um spoiler muito grande da história, e vai acabar fazendo você perder um pouco a experiência de ler esse livro.

Nicholas e Acácia tem uma química incrível! Em algumas vezes eles conversam com o olhar e tem uma tensão sexual palpável entre eles durante boa parte da história, deixando você tensa. 
Nicholas a tocou como se ela fosse preciosa, como se ele mal conseguisse aguentar se ela fosse fisicamente retirada dele.
Agora eu preciso comentar como o Sylvain evoluiu nas sex scenes desde "O Inferno de Gabriel", nesse livro elas são bem eróticas e sensuais sem ficar pornográfico e obsceno, tudo na medida certa. 


Quando se trata de um livro do Sylvain, esteja disposto a viajar pelo mundo, só em "The man in the black suit" a hist´roa se passa em quatro países diferentes, sem contar nas diversas menções ao Brasil durante da história.

O livro ainda não tem revisão de chegada no Brasil mais não custa tentar, então se você quer ler esse livro chegou o momento de mandar aquela DM para sua editora favorita e pedir o livro.


The Man in the black suit
Autor: Sylvain Reynard
Editora: Argyle Press
Lançamento: 2017
Modelo / páginas: Digital / 437
Sylvain Reynard :
Quase nada foi divulgado sobre a verdadeira identidade do autor por trás do pseudônimo Sylvain Reynard. Sabemos que ele é canadense, já escreveu vários livros de não ficção e tem um profundo interesse pela arte e pela cultura renascentistas. Mas, embora declare ser do gênero masculino, seus fãs têm uma forte suspeita de que na verdade S.R. seja uma mulher. Semifinalista ao prêmio de Melhor Autor e Melhor Livro no Goodreads Choice Awards de 2011, Reynard apoia diversas instituições de caridade e acredita que a literatura ajuda a explorar os diversos aspectos da condição humana, como o sofrimento, o amor e a redenção. --Este texto se refere à uma edição esgotada ou disponível no momento.
TAGS: ,
Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As