Pausa Viu | En Brazos de un Asesino (2019)


O único lugar que ela se sente segura é nos braços de um assassino.
Sinopse: Victor (William Levy) tem um segredo - ele é um assassino. Ele foi criado para apenas uma coisa, que é matar por dinheiro. Quando ele é enviado para a casa de traficante para receber pagamento pelo seu último trabalho, ele encontra a bela Sarai (Alicia Sanz), que foi forçada a passar seus últimos nove anos com o traficante. Quando ele vai embora, Sarai vê nele a oportunidade de fugir se escondendo no carro de Victor, mas as coisas não vão como planejado e ao invés de levá-la para casa, ela se vê livre de um dos homens mais perigosos do mundo e nas mãos de outro. Na fuga, a consciência de Victor faz uma breve aparição e ele começa a proteger Sarai. No final, Sarai detém um poder sobre Victor que a torna alvo e atração entre eles a coloca nos braços de um assassino.



Caraca... A sinopse do IMDB já jogou tudo pro alto, não é? Mas é exatamente isso a trama, mas não vamos falar dela não.
Vamos falar de como "En Brazos de un Asesino" (É o título original já que é uma produção latina) é uma adaptação perfeita de "A Morte de Sarai", da autora J. A. Redmerski.
Gente, eu nem sei dizer o que ver essa adaptação fez com meu coração...
Quando a Carol e eu acompanhamos desde o anúncio, até escalação e tudo que vazava da produção, fomos ficando de bocas abertas! Aquele é um dos nossos livros favoritos e estava tudo batendo com o que lemos. O William Levy tem todo meu apoio porque:
1 - Ele comprou os direitos e deu tchau pra Redmerski.
2 - Ele roteirizou junto a Jeff Goldberg.
3 - Ele colocou dinheiro dele sem faturar nada a não ser pagar os gastos da sua produtora.

Sim, o livro é um suspense incrível, mas o filme ficou ótimo! Desde a caracterização dos personagens (foco no Levy e na Alicia) a como eles conseguiram com um orçamento de indie (independente) e efeitos práticos fazer algo que contou tão bem a história. Ainda está tudo lá: os tiros, o luxo no estilo de vida do Victor, uma amostra de para quem ele trabalha (Oi, Niklas),  uma leve intriga familiar, as mortes chocantes.
A maior parte do filme vemos Sarai e Victor se conhecendo, se estranhando e se envolvendo. Ele não quer que ela leve essa vida de caos, de assassinatos e sem raízes. Só que Sarai não conhece mais nada a não ser a mãe que a abandonou com o traficante e uma vida de abuso. 
Você fica triste pela vida dos dois e, claro, não ajuda nada meu coração shippador que em dado momento, a tensão sexual de Sarai e Victor é palpável.

Te admito que nas primeiras aparições da Sarai, fiquei com o pé atrás com a atuação da Alicia, mas, felizmente, isso vai evoluindo no filme.
Lembro que quando não sabíamos que a iniciativa havia sido do Levy e ficamos sabendo que a escalação era ele para o Victor, fiquei meio "quem diabos é esse cara? ele vai dar conta?", mas sim, ele nasceu para ser o Victor.
Sobre o "tchau pra Redmerski" lá em cima. Eu não estou sendo chata ao dispensar a autora, mas qual é... A mulher não deu um "tchum" para o lançamento da produção.
Eu nem consigo imaginar o que seria ver uma obra minha adaptada para a telona, mas me contento em ser fã e ter uma boa obra adaptada.
Que o William Levy consiga fundos para os próximos filmes e direitos das obras porque a série completa consta, até agora, com oito livros. Boa sorte, Levy.

Victor e o quase nascimento de Izabel


Nos braços de um assassino (en brazos de un asesino)
Alerta de gatilho: Violência, abuso sexual, drogas
Direção: Matias Moltrasio
Roteiro: William Levy, Jeff Goldberg
Lançamento: 2019
Duração: 1h 41min
Elenco de "Nos braços de um assassino":
William Levy, Alicia Sanz, Roberto Sosa, Adrián Lastra
Renata Pamplona
PUBLICADO POR

"Lendo e resenhando muita coisa da cultura pop. Inevitavelmente Geek e apaixonada por mais personagens fictícios que pode contar." Contato: umapamplona@gmail.com

Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As