Resenha | Egomaníaco, da Vi Keeland


Um mal entendido pode mudar a vida de Emerie e Drew.

Sinopse: Na noite em que conheci Drew Jagger, ele tinha acabado de invadir meu novo escritório na Park Avenue. Liguei para a polícia antes de atacá-lo com minhas novas habilidades de Krav Maga. Ele me conteve com rapidez e depois riu, achando graça da minha tentativa de agressão. Claro que meu invasor tinha que ser arrogante. Mas, no fim, ele não era um invasor. Drew era o proprietário legítimo do meu novo escritório. Ele estava de férias enquanto seu elegante espaço era reformado. E foi assim que um golpista conseguiu me enganar alugando para mim o escritório que não estava realmente disponível para aluguel. Perdi dez mil dólares. No dia seguinte, depois de horas na delegacia, Drew ficou com pena e me fez uma oferta que não pude recusar: em troca de atender seus telefonemas enquanto sua secretária estivesse fora, ele me deixaria ficar até encontrar um lugar novo. Provavelmente, eu deveria ter ficado agradecida e mantido a boca fechada quando ouvia o conselho que ele dava aos seus clientes. Mas não conseguia deixar de expressar minha opinião. Nunca esperei que meu corpo reagisse toda vez que discutíamos. Principalmente quando parecia que era só isso que conseguíamos fazer. Nós dois éramos totalmente diferentes. Drew era amargo, bravo, lindo pra caramba e destruidor de relacionamentos. E meu trabalho era ajudar as pessoas a salvar seus casamentos. A única coisa que tínhamos em comum era o espaço que estávamos compartilhando. E uma atração que estava sendo difícil de negar a cada dia que passava.

Egomaníaco foi um dos primeiros livros da Vi que eu li, lááá em 2017. É um romance gostosinho para ser aproveitado e  pouco drama, do jeito que é bom para tirar uma ressaca literária.
Aqui vamos acompanhar a Emerie, ela se mudou de Oklahoma para NY para recomeçar, mas acaba levando um golpe ao alugar um escritório muito bem localizado por uma bagatela. Veja bem: bagatela para quem conhece o inferno que é caçar imóveis em NY. Uma noite, trabalhando tarde e véspera de ano novo, ela dá de cara com um cara de 1,80 de altura invadindo seu escritório! Mas péra... O escritório não é dela! Na verdade, é dele.
Seguindo sua mão conforme se curvou no arco do cupido, percebi que, contra as paredes lisas e brancas da sala, ela parecia uma obra de arte viva em uma tela.
Drew volta de férias e havia deixado seu escritório para ser reformado, mas ao voltar para NY ele resolve passar antes em seu escritório para ver como estão as coisas e a luz está ligada. Ninguém da equipe de reparos deixaria a luz ligada, mas ao entrar dá de cara com uma mulher gritando que ele é o invasor! Depois de uma conversa, eles resolvem ir a delegacia no outro dia, mas a atração é imediata (ninguém é cego de enxergar o quanto o outro é bonito, gente) e eles começam um jogo de gato e rato mediante a um acordo: Drew deixa ela ficar com o escritório se ela trabalhar meio-período para ele como sua secretária, o que funciona pois ela já tinha feito de tudo para se instalar no novo local: enviado a seus pacientes (ela é psicóloga) seu novo endereço, requerido nova linha telefônica, seus móveis para o escritório estava a caminho...
As coisas parecem ir em frente tão bem quanto uma amizade entre um advogado especializado em divórcios de NY e uma psicóloga especializada em casais de Oklahoma podem se relacionar. São semanas se conhecendo, fortalecendo a amizade até que as química não cabe mais em dois corpos e as coisas explodem em um relacionamento amoroso, mas como as coisas não podem ser 100% fáceis, tem uma parte da história de Drew que ressurge como problema e eles encaram essa lombada juntos.
Chamo de lombada porque isso aqui é uma comédia romântica, gente. Dramalhão aqui não tem vez!
Emerie Rose, desde o dia em que você invadiu meu escritório, vandalizou-o e me mostrou a sua bunda, senti que um pedaço de mim estava faltando quando não estava perto de você. Você é a cor no meu mundo em preto e branco.
E palmas para a escrita da Vi que é sempre envolvente e para o trabalho gráfico da edição brasileira pela Charme! Um dia eu consigo completar minha coleção da Vi (comprei tudo em ebook na língua original para o kindle lá na Amazon).
Vou deixar vocês por aqui porque Egomaníaco é um daqueles livros que eu sinto que se contar mais do que a sinopse vou estar te dando spoiler, pois o gostoso aqui é se envolver entre o ponto de vista de um e outro. É descobrir a paixão e se dar conta que o amor te dominou com esses personagens. 

EGOMANÍACO
Autora: Vi Keeland
Tradução: Alline Salles
Editora: Charme
Lançamento: 15 de novembro de 2018
Compre na Amazon em ebook ou versão física
Sobre Vi Keeland:
É nova-iorquina e mãe de três filhos. É uma leitora ávida, conhecida por ler durante eventos esportivos e nos semáforos, ao mesmo tempo em que arruma o cabelo, limpa, anda, e frequentemente enquanto finge trabalhar. Ela é uma advogada chata de dia e uma emocionante autora best-seller do The New York Times e do USA Today à noite!
Renata Pamplona
PUBLICADO POR

"Lendo e resenhando muita coisa da cultura pop. Inevitavelmente Geek e apaixonada por mais personagens fictícios que pode contar." Contato: umapamplona@gmail.com

Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As