Resenha | Ligados pela honra, de Cora Reilly


Gosta da combinação romance e máfia? Então vem cá.

Sinopse: Nascida em uma das principais famílias da máfia de Chicago, Aria Scuderi luta para encontrar seu próprio caminho em um mundo onde não há escolhas.
Aos quinze anos, ela foi escolhida para ser a aliança que uniria duas das maiores máfias americanas, casando-se com ninguém menos que ‘O Vice’, Luca Vitiello, o próximo Capo da máfia de Nova Iorque. Agora, aos dezoito, o dia que ela mais temia se aproxima: o do seu casamento.
Apesar da fama que seu futuro marido carrega, e do medo que ele causa nela, Aria sabia que não tinha escapatória, e teria não só que se casar com um homem implacável, como que conviver com pessoas que até bem pouco tempo eram inimigas declaradas de sua família. Mas o jeito de predador alfa de Luca provoca nela um conflito interno; sentimentos novos; desejos sensuais e uma grande dúvida: seria aquele homem conhecido por não ter coração capaz de amar?
Então... Como eu começo essa resenha?

"Ligados..." é o primeiro livro que eu leio da Cora e, aparentemente, a autora gosta de fazer a gente cair em tentação pelos bad guys. Quando eu te digo "cara mau" é justamente isso. Não é só o embuste com violência emocional (que trata a mulher com desdém, acaba com auto-estima dela em palavras, por aí). É o cara que está armado até os dentes, é dono da cidade toda (eu chamo de variação de CEO) e todos têm medo dele. Além de, claro, ser bonito para porr...
O livro vai acompanhar Aria e Luca.
Ela é filha de um dos homens mais importantes da máfia ítalo-americana e conhecemos a protagonista com quinze anos, mas não se engane em história com mulher empoderada, livre, leve e solta. Todas as mulheres aqui estão à disposição dos homens da máfia. Calma, eu não estou dizendo sexualmente... Bem, não de primeira. 
Aria não conhece o mundo além da sua casa, família e a máfia. Os seus estudos são moderados, seus irmãos seus únicos aliados, seus pais lhe informam que ela está jurada de casar com Luca Vitiello, o jovem chefe de toda famiglia.
Essa não é uma história de amor proibido, mas definitivamente é um slowburn (aqueles romances que não acontecem à primeira vista). Ela é apresentada ao seu noivo e fica sabendo que em três anos (ao completar maioridade) se casará com Luca. Se eles se amam isso não importa. Só se viram uma vez antes de subir ao altar.
... Você é minha prioridade, Aria. Eu vou queimar o mundo se precisar. Eu mato e bato e chantageio. Eu farei qualquer coisa por você. Talvez amor seja um risco, mas é um risco que estou preparado para ter e, como você disse, não é uma escolha.
É levemente bizarro o quanto se assemelha a livros de MC (Motorcycle Club): Mulheres não têm vontade, têm de se comportar e falar de certa maneira. Homens são tidos como sem sentimentos (e ao longo do livro não posso te dizer que isso melhora - muito) e podem tudo.
A bizarrice está em eu achar isso bizarro ou saber identificar os clichês de "isso tem que acabar em amor"? É só ver as citações.
A clama pelo amor apesar de tudo é maior aqui e a escrita da Cora realmente te envolve nesse mundo. 
Aria e Luca seguem em seu casamento, mesmo que não consumado no começo. Afinal o casamento é um negócio, uma promessa de paz entre as famiglias de Chicago e Nova Iorque e Aria tem um papel: fazer Luca satisfeito em seu casamento.
Com uns tropeços no começo, Aria e Luca são jovens, atraentes e cheios de hormônios brincando de casinha. Logo o negócio começa a pegar fogo, mas o livro tem ameaças ao jovem casal, além do desafio do matrimônio: a máfia russa está fechando o cerco contra a famiglia e há traidores infiltrados no seu círculo. 
O livro passa uma boa parte do tempo em tensão em relação ao casal:Aria vai conseguir amaciar o chefe da máfia? Luca vai ceder e se deixar levar pelos seus sentimentos pela jovem? 
Você, leitora, vai se deixar envolver por mais esse homem frio e calculista e pela jovem inocente de se apaixonar por ele? 

Capas das edições originais da série
A montagem acima não está completa, mas mostra a maioria dos livros (está faltando uma novella e a capa do livro que sai esse ano). Todos são standalone (livros únicos) e, aparentemente, comprados pela editora brasileira. Posso só fazer uma observação? Apesar de standalone (cada livro é sobre um casal), as histórias seguem uma linha temporal contínua, então se você começar pelo livro 3 pode ver alguns dos personagens já apresentados em livros passados e suas ações não farão tanto sentido.

Notas da resenhista:
- Eu li o livro na edição kindle em inglês, então todas as traduções são minhas;
- Por que aqui embaixo eu coloco a edição em português? É porque eu sei que nem todo mundo lê em outra língua, então se há a tradução publicada por editora brasileira, eu prefiro deixar acessível para compra essa edição;
- P.S.: Eu fiquei tão confusa em como me sentia em relação a esse livro (eu estaria louca de shippar esses dois) que falei para a Anne toda a minha confusão e.... Resultado: duas confusas. Ainda no aguardo da resenha dela também.

Ligados pela honra
Série Born in blood chronicles - Livro 1
Autora: Cora Reilly
Editora brasileira: Bezz
Lançamento no Brasil: Setembro de 2019
Modelo / páginas: Kindle / 204
Compre na Amazon
Sobre a Cora Reilly:
Autora de romance e livros new adult. Amante de boa comida, vinho e livros, e viciada em bad boys (nos livros).
Renata Pamplona
PUBLICADO POR

"Lendo e resenhando muita coisa da cultura pop. Inevitavelmente Geek e apaixonada por mais personagens fictícios que pode contar." Contato: umapamplona@gmail.com

Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As