Resenha | Key to Hell, de Alex Grayson


Merece mais do que 5 estrelas...
Sinopse: Morte. Destruição. Dor. Um vazio desalmado. É essa a vida dele. É essa sua realidade.
Emo não sente. Nada. Sua alma é escura e cheia de ódio. As pessoas da pequena cidade de Malus o observam com medo, com reverência. Exatamente como ele prefere.
Culpa o cerca, enjaulando-o em um passado que ele se recusa libertar. Não consegue deixar. Seu passado é responsável pelo casca do homem que agora existe. Ele não conhece nenhum outro jeito de sobreviver.
A mulher que assombra seus sonhos é sua única salvação. Ele a machuca de novo e de novo. Ele não tem escolha.
A chave que ele segura, a que ele usa marcar sua pele, é a chave para seu inferno pessoal. É o lembrete da dor que ele sofreu e causou.
Haverá retribuição? Emo pode ser salvo? Ou ele está destinado a viver no inferno escuro para o resto da sua vida?
Meu coração estava preparado para ler esse livro no dia do lançamento, minha mente estava preparada para ler esse livro no dia do lançamento... só, que nem tudo acontece da maneira como planejamos, e eis que recebi o ARC. Resultado? parei a vida e fui ler...
Every minute we were together, the good, the bad, and everything in between.
Depois de uma pequena ponta de decepção no livro do Judge (Judge Of Hell), e um mega susto com a revelação de capa de Key To Hell (ainda espero que mude para o Emo na capa, a esperança é a última que morre, afinal de contas), eis que fui na cara e na coragem, na fé e com as mãos tremendo ler sobre a história do meu tão esperado Emo.
E já comecei chorando, logo no prólogo.
Para os fãs da série, ele não começa de forma diferente, mesma cena sendo contada sob um novo ponto de vista. E porra, como doeu reler tudo novamente.
Emotions have the potential to make a person weak, and I'll never be weak again.
Que nosso menino escuro era bastante quebrado, isso já sabíamos, também sabíamos que havia somente uma pessoa que poderia restaurá-lo.
For most of my life, the demons inside me ruled my life. My world was dark and gray, with no hope of ever finding the light.
Mas haviam tantos cacos para juntar, tantos sentimentos em conflito que confesso que senti a angústia da mocinha em muitos momentos.
O romance entre os dois acontece de forma bastante lenta, há muita coisa entre eles, é algo mais profundo, completamente diferente dos arroubos de amores dos livros anteriores e eu amei demais isso.
Às vezes, senti vontade de arrancar os olhos do Emo e enfiar pregos nele, como Trouble dizia, que homem teimoso, Jesus!! E essa teimosia era tanta, que se tornava repetitivo... porém, como disse, havia tantas coisas ali, era mais que simplesmente amar um ao outro, era aceitar dar e receber amor. Então, até a repetição foi necessária.
A autora soube construir muito bem o enredo e fechar a série com chave de ouro, perdi as contas de quantas vezes meu coração apertou e chorei. Início, meio e fim... e epílogo. Muita lágrima para apenas um par de olhos...
Sem pontas soltas, e com um "algo" a mais que me deixou com sorriso no rosto, e se eu não parar de falar agora posso soltar spoiler.
Para quem gosta de romances darks, a série Hell Night é para vocês ;)
Enfim, final perfeito para uma série surpreendente. E olha, que não é todo mundo que consegue manter o ritmo como Alex Grayson fez.

Nota da autora: É recomendado começar com o primeiro livro da série, Trouble in Hell, e ler os livros subsequentes antes de ler Key to Hell.

Key to Hell
Série Hell Night
Autora: Alex Grayson
Editora: Twisted Fiction Publishing
Lançamento: Junho/ 2019
Modelo / páginas: Ebook (ARC cedido pela editora) / 306
Compre na Amazon
Sobre Alex Grayson:
Uma típica sulista norte-americana, Alex agora vive em Ohio com seu marido e dois filhos, dois gatos e um cachorro. Ela ama a cor azul, lasanha caseira, passear por sua propriedade e interagir com seus leitores.
Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As