Pausa Viu | Aladdin (2019)


Tudo posso no Guy Ritchie que me fortalece!

Sinopse: Um jovem humilde descobre uma lâmpada mágica, com um gênio que pode lhe conceder desejos. Agora o rapaz quer conquistar a moça por quem se apaixonou, mas o que ele não sabe é que a jovem é uma princesa que está prestes a se noivar. Agora, com a ajuda do gênio, ele tenta se passar por um príncipe para conquistar o amor da moça e confiança de seu pai.



*** Este é um post SEM spoilers***

Eu tenho um laço emocional grande com Aladdin, a animação de 1992. Não assisti nem a série animada nem a continuação, mas AMO a animação da Disney. É um filme que assisti e reassisti e estava apreensiva SIM com o live-action.
O que fariam com o Gênio?
O Will Smith tem um ego enorme. Será se vai roubar a cena?
Guy Ritchie dirigindo? Cara, ele dirigiu mais filme de ação que outra coisa!
Naomi Scott como Jasmine? O flop vem.
Mena Massoud como Aladdin? QUEM?
Vão ter as músicas?
E o Rajah, Abu e Iago vão estar?
Quando saiu o primeiro trailer mostrando o Gênio.... hm.... Sei não.
MAS TUDO POSSO NO GUY RITCHIE QUE ME FORTALECE PORQUE O FILME ESTÁ PERFEITO!

Pense no filme de 1992 como um passo-a-passo para este. As cenas mais icônicas estão presentes neste live-action e embora tenham rolado outros live-actions da Disney nos últimos anos, eu senti que faltou algo. Não te digo que foi coração, as faltou envolvimento. 
Cinderella é inacreditavelmente sem sal, apesar do elenco maravilhoso.
Malévola não conta. É uma história original. Não tenho nem da onde tirar a referência.
Mogli (do Fravreau) é lindo! Muito bacana, mas o CGI me incomoda bastante (o que tenho certeza que acontecerá em Rei Leão também).
A Bela e a Fera é... controverso. Não pela escolha do elenco. Eu adorei o filme, mas ainda não tinha rolado nenhum que eu quisesse rever e rever como aquelas fitinhas VHS verdes tradicionais.

Então Aladdin chegou e vemos o jovem de Agrabah, o jovem ladrão, órfão, e seu macaquinho fiel, pelas ruas de uma cidade governada por um Sultão bom, mas ausente, e sua filha, Jasmine, cheia de curiosidade para conhecer mais sobre a vida fora do castelo.
Logo de cara no filme temos música e eu já coloquei a mão no peito e entreguei minha alma pra Lilith levar... Aliás, acho que minhas companhias do dia que fui assistir concordam não é, Carol, Victor e Anne?


Vemos um rapaz humilde, mas claro que querendo mais. Alguém deslumbrado com a possibilidade de riqueza. Um gênio resignado a uma vida de servidão, um Vizir sinistro cheio de ambição e uma princesa querendo mais do que a lei do seu país lhe permite.
Tem ação, tem músicas (assisti a versão legendada e dublada e ambas estão maravilhosas!), tem magia, fantasia e amor. 


Algo que mudou E MUITO para esse live-action foi o papel de Jasmine, não só uma princesa curiosa, mas uma ávida aprendiz de líder e agora, com mais companhia feminina. Não sabia o quanto isso havia me feito falta em um filme da Disney até ver em cena: a princesa tem uma amiga! Dalia é engraçada e um contraponto em toda seriedade de Jasmine para com seus pretendentes.
Naomi entregou uma Jasmine com alma e garra e estou muito feliz de ter errado em duvidar dela (eu sinceramente não lembro de NENHUM papel da jovem que tenha me chamado atenção antes desse).
Ah, mais um detalhe: estou MUITO satisfeita pela cenografia e pelos ajustes no figurino, principalmente de Jasmine. Chega de cropped! A moça está linda e real em seus trajes magníficos!


Eu só quero deixar mesmo meu pacote de biscoitos para o filme. Foi muito mais do que eu esperava!


Aladdin (2019)
Direção: Guy Ritchie
Distribuição: Disney
Lançamento: 24 de Maio de 2019
Duração: 2h10m
Elenco:
Will Smith, Mena Massoud, Naomi Scott, Nasim Pedrad, Alan Tudyk, Navid Negahban, Marwan Kenzari
Renata Pamplona
PUBLICADO POR

"Lendo e resenhando muita coisa da cultura pop. Inevitavelmente Geek e apaixonada por mais personagens fictícios que pode contar." Contato: umapamplona@gmail.com

Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As