Vale a pena se apaixonar de novo? | Parte 3


Ah, Sandrinha... Rainha das comédias românticas dos anos 90/00!

Ok... A minha primeira edição de Vale a pena se apaixonar de novo não foi pura coincidência escolher duas comédias românticas com a Kate Hudson, mas essa parte 3 não foi. Eu AMO a Sandra Bullock e me vieram logo esses dois papéis dela. 
Até a década passada ela era bem conhecida por seu posto de "queridinha da américa" por seus papéis em comédia e eu venho acompanhando desde "Enquanto você dormia", um dos meus filmes favoritos EVER, então... Me acompanha nessa volta ao passado com essas comédias.

Admito que tenho um problemão em ver comédias românticas no cinema. Das comédias que paguei para ver no cinema, não gostei muito do filme, então ficou aquele gosto amargo.. Hoje é raríssimo você ver um filme do gênero entrando em cartaz. Você vê o trailer, mas o filme mesmo? Hm... Sonho. É difícil competir com blockbuster de heróis ou indicados à grandes premiações.
Bem, em "Amor à segunda vista" acompanhamos Lucy, uma advogada ativista por várias causas, mas principalmente apaixonada pela sua vizinhança e seus projetos sociais. Para tentar impedir que um prédio importante seja demolido, ela vai pedir a George Wade, um bilionário egocêntrico e avoado, cuja empresa quer destruir o centro para construir um prédio de luxo.
Ao conversar com George, Lucy acaba sendo levada a trabalhar para ele em troca da não-demolição do centro comunitário. O problema é que Lucy não só acaba assinando um contrato para ser advogada de George e sim mão-direita dele. Ele pede sua ajuda para tudo! O que comer, para onde ir, que gravata usar, que colchão comprar e Lucy é tudo e muito ética. Ela vive para o trabalho e come todas suas frustrações. De uma maneira bem estranha, eles acabam se complementando. George sabe exatamente do que ela gosta e vice-versa.
Ao fim do seu contrato, George começa a ficar desesperado. Como passar a viver sem todas as decisões e jeito mandão de Lucy? 
O entrosamento do Hugh com a Sandra é ótimo. Há vários momentos para rir, apesar de muitas vezes querer matar o George e Lucy, ah, eu super consigo me ver nela fazendo pedido de comida chinesa.

Tenho que admitir que demorei para ver esse filme. Assim, como "Amor à...", não vi no cinema (nem lembro se passou no circuito aqui em Belém) e só fui assistir na TV por assinatura. Bem, esse é da época que o Ryan Reynolds ainda estava perdido interpretando ele mesmo lá por 2009.
Bem, em "A proposta" vemos mais uma personagem de Sandra como a séria e autoritária, dessa vez a Margaret. A Margaret é uma editora de livros super respeitada no mundo editorial por conseguir fechar parceria com autores que acabam se tornando bestsellers. Ela é um tubarão dos negócios na área. E ela tortura o pobre Andrew. Dessa vez o papel é meio que invertido com o papel passado de "Amor à...'. A personagem dela é que é exigente e faz de gato e sapato alguém que trabalha para ela. Chegando um feriado, Andrew desmarca mais uma vez com a família, mas acaba se metendo em uma enrascada quando Margaret é ameaçada de perder seu visto americano de trabalho (ela é canadense) e usa Andrew falando que ele é seu noivo, assim, quando casar terá o visto permanente então não será problema sobre perder seu cargo.
Após uma entrevista com o pessoal da imigração, ele fica com medo de ir para cadeia, mas nada faz Margaret perder a pose... Exceto que agora terá que fazer abrir mão de certas coisas pelo novo "noivo". Eles vão para a ilha da família de Andrew (sim, uma ilha... podres de ricos lá pelo Alasca) para o feriado e acabam "apresentando" a novidade para a família dele, que não entende como ele vai se casar com sua chefe que tanto falava mal nos últimos anos.
Entre mentir para os amigos e família dele, conhecer mais da história do seu assistente e quase dar de oferenda o cachorro da família para um falcão (melhor cena), Margaret vai quebrando um muro ao redor do seu coração e acaba se apaixonando não só por Andrew, mas pela família dele.
Com o jeito bobo de Ryan e o ótimo timing para comédia de Sandra, não tem como dar errado. Ah, e é um dos favoritos da Carol, editora-chefe aqui do Pausa.
Uma das melhores coisas sobre filmes, para mim, é justamente poder me desligar do mundo, dos problemas da vida, das problematizações (necessárias sim) sociais. Às vezes você só está tão cansado que só quer curtir um filme com uma pipoquinha. Pronto. A maioria dos filmes que vemos aqui no Pausa são mainstream? Sim, mas somos um blog para falar de cultura pop e entretenimento.
Já dizia a frase lá do ovo frito (sente a referência): sou fã, quero service.
E você, qual seu filme favorito da Sandra Bullock?
Renata Pamplona
PUBLICADO POR

"Lendo e resenhando muita coisa da cultura pop. Inevitavelmente Geek e apaixonada por mais personagens fictícios que pode contar." Contato: umapamplona@gmail.com

Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As