Vi Na Netflix: O mundo sombrio de Sabrina


Macabro, cheio de referências e sem freios, O Mundo Sombrio de Sabrina tem espaço para muitas histórias!

Sinopse: Magia e segredos colidem quando a meio-humana, meio-bruxa Sabrina navega entre dois mundos: adolescência mortal e o legado de sua família, na Igreja da Noite.
Então, quando saiu a notícia de uma nova série da Sabrina, dessa vez focando nas HQs e não na comédia juvenil dos anos 90, todo mundo só queria saber se o Salem ia falar. Eu mesma estava curiosa, afinal, era o melhor personagem da série (Melissa Joan Hart, a Sabrina dos anos 90, que me perdoe, mas eu revirava demais os olhos de chatísisma e juvenil que era). 


Saiu a escalação da nova série, produzida pela Warner Bros. e transmitida pela Netflix, e eu fui só empurrando com a barriga. 
Aí saiu a notícia que o Salem da nova série não falaria... Ah, meus amores, a internet pegou fogo! Meses de indignação e quando assisti a O Mundo Sombrio de Sabrina (Chilling Adventures of Sabrina, também conhecida como #CAOS no twitter) cheguei a conclusão que o Salem falante, irônico e cheio de atitude não faz a mínima falta. Saudosismo não tem vez quando CAOS é uma série cheia de referências cinematográficas interessantíssimas, um roteiro aguçado, misturando a dúvida da jovem Sabrina em deixar seus amigos e namorados no mundo mortal e integrar o mundo das trevas com gosto a mando do Senhor das Trevas.


Às vésperas de seu aniversário de 16 anos, Sabrina se vê dividida entre o mundo mortal e o sombrio. Tendo crescido entre bruxas, mas "frequentado" o mundo mortal, ela tem amigos e um namorado todo amorzinho, mas em casa está acostumada à morte, feitiços e mencionar Satã.
No dia do Halloween, seu aniversário, ela terá que participar de um ritual básico para todos os jovens bruxos: assinar seu nome no livro das Trevas e servir Satã e sua igreja sempre que requisitada, mas Sabrina não é uma jovem qualquer. Ela é obstinada, cheia de vontades e forte. Me encantei pela jovem que defende aqueles que ama e nem as críticas ao seu amor pelo mortal Harvey me detiveram de amar a série.
Quando ela se recusa a assinar o tal livro, a igreja da qual sua família faz parte, sua família e terceiros tornam o objetivo deles fazer com que a jovem se dobre às tradições bruxa. Leia-se: obsessão religiosa. A série faz críticas dezenas de vezes em como as pessoas ficam cegas em relação a religião e cometem atos horríveis em nomes da mesma.


Com a negação da jovem logo no começo da série, vemos como ela lida com a vida mortal, descobrir mais sobre sua família (ela é órfã, mas mora com as tias), lidar com colégio mortal E bruxo, até decidir seu destino entre o mundo que viveu e o que irá viver.


Em CAOS não há nenhum episódio filler, aquele conhecido só por ser um "enche linguiça". TUDO está conectado e conhecemos um pouco de todos os personagens que se envolvem com Sabrina, mostrando que Greendale e a Igreja da Noite são mais complexas do que se imagina.


Apesar da produção ser da WB, a distribuição pela Netflix garantiu que a série não tivesse pudores. Apologia à orgia, nudez, oculto, magia e violência aparecem de uma maneira que nunca se misturaram em uma série do streaming e só por isso levaria minhas cinco estrelinhas fácil, fácil.
Lembre-se que, se for assistir, a primeira temporada tem 10 episódios de (em média) 50 e poucos minutos cada, e já teve segunda temporada encomendada pela parceria WB + Netflix.
A parceria garantiu boa ambientação, atuações divinas, respeito ao material da HQ e conteúdo de qualidade para os assinantes (tava nos devendo, Sra. Netflix).


Sobre representatividade: Apesar da HQ não ter representatividade além do básico hétero - branco - (aparentemente) classe média, a série chega dando lavada nesse ponto: Tem bi, tem preto, tem "foda-se o gênero".
Afronta ao machismo? Tem.
Contra homofobia? Tem.


10 Referências básicas de CAOS para vocês encontrarem durante os 10 episódios:
- Noite dos mortos vivos;
- Jovens Bruxas;
- Halloween (o filme);
- Suspiria (original, claro);
- A Bruxa;
- Evil Dead (original!);
- Hellraiser;
- O exorcista;
- O bebê de Rosemary;
- Riverdale (Sim, é mencionado!);

Resumo? INDICO PRA CARAMBA. CAOS não teve medo de mostrar seu lado macabro e nem você deve ter medo de assistir... e gostar.



O mundo sombrio de Sabrina
1ª Temporada
Distribuidora: Netflix
Ano: 2018
Elenco: Kiernan Shipka, Ross Lynch, Jaz Sinclair, Lucy Davis, Miranda Otto, Michelle Gomez, Chance Perdomo, Tati Prudence, Richard Coyle e mais
Renata Pamplona
PUBLICADO POR

"Lendo e resenhando muita coisa da cultura pop. Inevitavelmente Geek e apaixonada por mais personagens fictícios que pode contar."

Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As