[Resenha] Os quase completos - Felippe Barbosa



“... Isso quer dizer que, se você escolher ser um “quase artista”, você sempre será um “quase completo”. E sendo um “quase completo”, você sempre será um quase feliz.”

Sinopse: O Quase Doutor é um renomado cardiologista que passa os dias em um hospital, mas no fundo é um artista frustrado. A Quase Viúva é uma professora que está de licença do trabalho para ficar com o noivo, em coma após um grave acidente. O Quase Repórter é um jornalista decepcionado com a profissão que sofre há mais de um ano pelo suicídio da esposa. A princípio, a única coisa que essas pessoas têm em comum é a sensação de incompletude e de desilusão com a vida.

Até que, um dia, o Quase Doutor é persuadido por um velho desconhecido a embarcar com ele em um ônibus rumo a uma jornada para se reconciliar com seu passado. Logo a viagem se transforma em uma aventura extraordinária e, em meio a fenômenos como uma chuva de estrelas cadentes, ele precisa fazer escolhas que mudarão seu destino para sempre.
Enquanto isso, eventos misteriosos levam a Quase Viúva a suspeitar que alguém dentro do hospital quer matar seu noivo e uma pesquisa minuciosa do Quase Repórter revela que sua esposa pode ter sido assassinada. Quando os dois tentam descobrir a verdade sobre seus amados, tudo leva a crer que a resposta está dentro do ônibus do Quase Doutor.
Reunidos num lugar que nunca imaginaram existir, os três serão forçados a enfrentar seus maiores medos e verão que, para se tornarem completos, precisarão encarar a batalha mais difícil de todas: aquela que travamos com nós mesmos.


A editora Arqueiro nos apresenta essa grande obra da Literatura Nacional: Os Quase Completos. Ganhador do prêmio Pólen de Literatura, Felippe Barbosa é o nome por trás desse livro em sua estreia no meio literário. Felippe é advogado e integrante do canal do Youtube Toga Voadora. Os Quase Completos é uma obra de gênero romance que nos leva a uma viagem de autoconhecimento.
O livro é narrado de três pontos de vistas, em primeira pessoa: o Quase Doutor, a Quase Viúva e o Quase Repórter. 
O Quase-Doutor é um “típico” brasileiro, cardiologista renomado, está noivo e aparenta ter tudo o que é necessário para viver. Entretanto, ele tem tudo o que ele nunca sonhou. Um dia, ele reencontra uma pessoa do seu passado e isso meche profundamente com seu psicológico. Assim, ao sentar na parada de ônibus, conhece um senhor excêntrico que o convida a fazer alguma coisa impulsiva. Logo, ele embarca em uma viagem de ônibus sem rumo e que mudará a sua vida.
A Quase-Viúva é uma professora de ensino médio de português, que não gosta de crianças e lecionar. Seu noivo acaba de sofrer um atropelamento e se encontra em coma, impedindo seus planos de casamento. Logo, pede licença de seu emprego para cuidar de seu amado, entretanto muitas anormalidades começam a acontecer e um possível assassino pode estar à espreita de seu noivo. Então, basta a ela desvendar esse mistério e também tomar os rumos da sua vida.
O Quase-Repórter é uma pessoa totalmente frustrada com sua profissão e com a sua vida. Recém-viúvo, não consegue aceitar o fato de que sua esposa tenha cometido suicídio, pulando em frente a um ônibus, e isso o angustia profundamente. Contudo, novas evidências aparecem e, ao que tudo indica, alguém pode está por trás de tudo isso. Logo, o Quase-Repórter vai atrás de pistas que comprovem sua teoria, mas muitos outros mistérios podem estar por trás dos panos. Portanto, basta a ela finalmente enterrar o seu passado ou não e começar uma nova vida.
...A questão é que utopias muitas vezes não se realizam. Só que não é para isso que não é para isso que elas servem. Afinal, se elas se realizassem, deixariam de ser utopias. Elas nos motivam. Essa é a finalidade. Saber que por mais que uma realidade perfeita possa ser inalcançável, enquanto viver disposto a correr atrás dela, estará vivendo plenamente.
Assim sendo, a primeira pergunta que deve ser feita antes de você pegar esse livro: você é feliz? Se você não souber responder, então você definitivamente deve ler esse livro. Entretanto, se a resposta for sim, você também deve ler esse livro por que é muito bom.


O Felippe conseguiu fazer uma coisa extraordinária nesse livro, criar uma história recheada de aventuras, mistérios e sobrenatural, e ainda te dar uma baita lição de moral. O autor quase ( me pegou, devo confessar, todavia desvendei o mistério antes da grande revelação ( e bota revelação)
O livro te ensina que há momentos na vida em que você deve simplesmente ligar o foda-se e ser feliz como você sempre sonhou. Afinal, vive-se apenas uma vez e nossos caminhos somos nós quem trilhamos e o seu maior inimigo pode ser quem você menos espera. Ademais, não existe esse papo de que seu tempo já passou, pois enquanto você ainda estiver respirando, o seu tempo ainda não acabou.
A vida é infinita, mas é tolice pensar que temos prazo de validade. Mudar os rumos de suas ações é válido até o seu último segundo na terra. Nunca se é velho demais para admitir seus erros e jogar tudo para o alto. Nunca se é velho demais para recomeçar.
O livro é uma baita obra robusta (mais ou menos 390 páginas). Em certos pontos, tu te envolves e não ver o tempo passar durante a leitura, contudo, em outros pontos, o livro possui passagens desnecessárias, assim como diálogos, que poderiam facilmente enxugar o livro e a leitura.
Devo confessar que o livro foi uma leitura bem difícil para mim, em que fiquei protelando por um bom tempo, mas acredito que fora devido a esse momento corrido da minha vida. Apesar disso, acredito que em outros momentos realmente teria amado o livro, tanto que já prometi empresta-lo a alguns amigos, a quem lhe veemente recomendei.


Assim, espero que o Felippe continue escrevendo e nos proporcionando novas leituras, porque ele tem talento, e não é atoa que o livro foi o vencedor do premio Pólen de Literatura. Acredito que sua escrita ainda vá melhorar e muito e fiquei na torcida por você, pois aqui você ganhou um fã.
Todos seguimos caminhos em nossa vida. E os mais dignos de prosseguir são aqueles que escolhemos por pura e singela paixão. Às vezes, os traçamos sozinhos. Outras vezes encontramos alguém que gosta um pouco da própria paixão para ajudar em nossos caminhos e transformar a paixão em amor. Quando encontrar essa pessoa, uma os caminhos. Case-se com ela.

Os Quase Completos
Autor: Felippe Barbosa
Editora: Arqueiro
Lançamento: 2018
Páginas: 384
Compre na Amazon
Felippe Barbosa
Vencedor do Prêmio Pólen de Literatura, Felippe Barbosa nasceu em 1996 em Uberlândia, Minas Gerais, onde mora até hoje. Ele se formou em Direito em 2017, e desde 2016 integra o canal do YouTube Toga Voadora.
João Sertório
PUBLICADO POR

Sou meio louco, gosto de tudo um pouco e amo aprender coisas novas todo dia. Sou Nerd ,Geek, Otaku, Dorameiro, BookaHolic , Poliglota e ainda arranjo tempo para praticar meus esportes favoritos.

Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As