Pausa Viu: O Primeiro Homem



"Este é um pequeno passo para o homem, um salto gigantesco para a humanidade."

Sinopse: A vida do astronauta norte-americano Neil Armstrong (Ryan Gosling) e sua jornada para se tornar o primeiro homem a andar na Lua. Os sacrifícios e custos de Neil e toda uma nação durante uma das mais perigosas missões na história das viagens espaciais.


Olha eu de novo falando de filme bom! Ai, que delícia.
Primeiro eu quero lembrar que não sou de biografia em nenhum meio. Nenhum. Nem em literatura, nem em filmes, mas como tinha o Ryan Gosling, eu pensei em dar uma chance. E admito que tenho uma curiosidade implantada pela mídia americana sobre a corrida espacial e as primeiras viagens ao espaço, então por que não me jogar nessa jornada de um dos astronautas mais conhecidos do mundo: Neil Armstrong.


Nós vamos acompanhar Neil desde os anos 60, ao trabalhar como engenheiro e testando novas tecnologias aéreas. O jovem é destemido, mas gosta e é no que faz. Tem sua família bem estilo americana: esposa, filho e filhinha linda, mas a pequenina está doente e eu já me senti nessa parte do filme como se estivesse assistindo Up! - Altas Aventuras... e o rumo é o mesmo. Sua filha mais jovem, Karen, morre ainda criança de leucemia. Precisando de uma mudança, eles se mudam para que Neil trabalhe para a NASA, mas não se engane... Neil não vai entrar e ser o fodão logo no começo do filme.


Aliás, esqueça fodão, esqueça tiro, porrada e bomba. É um filme de um herói americano e é um filme plano. Tem suas emoções, mas como um todo: é linear. Está contando a história de um cara gente como a gente. A história de um cara que entrou para os livros e bateu recordes a um grande custo pessoal.


Com quase duas horas e meia, acompanhamos muito da vida dele na carreira e vida pessoal. Na carreira, Neil demonstrou paixão, determinação e destreza desde cedo. Na vida pessoal, no começo era um cara apaixonado, mas o falecimento de Karen obviamente tirou algo de dentro de Neil que o marcou por muito tempo. Como pai, alternava entre brincalhão (quando em casa) e era o típico homem da casa da época, deixando toda a criação dos filhos para a esposa. Como marido... bem, era ausente e distante, mesmo amando a esposa.


Aliás, vem comigo rapidinho abrir um parágrafo para eu falar da Clare Foy: Acho que estou de implicância gratuita com a moça porque vejo rasgarem elogios para ela em todos os papéis, mas sabe o que eu vejo? Uma interpretação apática, sem paixão, sem fulgor em TODOS OS PAPÉIS. Não é possível que eu não esteja vendo essa coisa toda nela. Me diz que eu estou errada, mas sério... Não dá para simpatizar tudo que eu deveria ter simpatizado pela personagem (baseada em alguém real).


Sendo baseado em fatos reais, é muito interessante ver como a evolução da NASA na corrida espacial se deu. A concorrência de egos, os erros e acertos, a amizade e frieza com o qual tudo era tratado. Tudo 8 e tudo 80.


E a razão principal pela qual fui assistir o filme: Ryan. O cara está muito bom, e a cena final... AI, MEU CORAÇÃO.


P.S: Perdeu pontinho o filme porque podia ter terminado no primeiro passo de Neil na lua. ALÔ, DIREÇÃO!



O primeiro homem
Distribuição: Universal Pictures
Direção: Damien Chazelle
Ano: 2018
Elenco: Ryan Gosling, Claire Foy, Kyle Chandler, Corey Stoll
Renata Pamplona
PUBLICADO POR

"Lendo e resenhando muita coisa da cultura pop. Inevitavelmente Geek e apaixonada por mais personagens fictícios que pode contar."

Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As