Vale a pena se apaixonar de novo? - Parte 1


Vale a pena se apaixonar de novo?

Esse post / nova coluna é crítica? Não.

É uma publi? Quem dera.
Então é o quê? Bem, a Carol deu a ideia de a gente rever nossos filmes favoritos (suponho que serão vários gêneros, mas por enquanto serão comédias românticas) e escrever sobre como é rever esses filmes, com um certo tempinho de lançados, e por isso o nome bem brega: Vale a pena se apaixonar de novo? Esses filmes "envelheceram" bem? Eles ainda serão favoritos após reassistir? Vale a pena rir de novo?
Os meus escolhidos da vez são "Noivas em Guerra" (2009) versus "O noivo da minha melhor amiga" (2011), ambos estrelando a Kate Hudson, mas eu JURO que não foi critério para escolha.

Vamos então começar de "Noivas em Guerra"! Eu sinceramente não lembro de ter visto o filme nos cinemas, mas com certeza passou nas salas comerciais.
No longa, desde crianças, a advogada Liv (Kate) e a professora infantil Emma (Anne) são melhores amigas. Elas planejam seus casamentos juntas e escolhem o mesmo local para festa: o famoso Plaza Hotel em Nova York, mas um erro de agendamento provoca um conflito de datas, Liv e Emma descobrem seus demônios interiores. Isso porque nenhuma das duas pretende ceder e mudar a data da cerimônia, então passando a sabotar as festividades da rival.
O filme tem uma vibe beeem de comédia romântica, com ares de "somos livres, leves e soltos" na cidade grande. As amigas ficam noivas no mesmo período e vão em uma das maiores cerimonialistas da cidade para planejarem seus casamentos. Só que há um problema na organização das datas e as duas ficam marcadas para o mesmo período, enquanto no planejamento original haveria um período de "folga" entre os dois eventos. Após saberem do problema, há uma soluçãozinha: tem data no Plaza? Tem. Com meeeses de diferença e nenhuma das duas quer abrir mão do seu dia dos sonhos. Aí começa a briga entre as duas amigas, começando com mentiras, fuxicos e vinganças como revelações de segredos, tentativas de engordar a outra, falsificando shampoos e por aí vai. Admito que são engraçadas as tentativas de uma abalar a outra porque não é algo "AI MEU DEUS, ELA TÁ TENTANDO MATAR A OUTRA". Não, calma. São só... pequenas travessuras. Até que chega o dia dos casamentos e mais revelações são jogadas entre as (agora) ex-amigas.
O filme vai fazer 10 anos e ainda é um dos meus favoritos porque o timing das atrizes para comédia é ótimo. "Noivas em guerra" é levinho e te deixa com uma risada no final porque o destino não brinca em serviço.
O que eu aprendi com esse filme: Se exagerar em bronzeamento artificial (nunca fiz), é só me banhar com muitas frutas cítricas. Ah, e amizade na frente de amores. 💓


E agora vamos de "O noivo da minha melhor amiga"!
Eu amo odiar esse filme ou odeio amar? Não sei. Para mim é meio polêmico porque lida com traição e tá aí algo que ODEIO.
Não liguem também para a chamada "E se você encontrasse a pessoa certa na hora errada?". É armadilha! 
No filme, Rachel está completando 30 anos e em uma noite de bebedeira (e tesão, por isso que essas duas coisas não devem se misturar, jovens! #LiçãoDoDia) tem uma "aventura" com Dex, o noivo de sua melhor amiga Darcy (Kate, de novo!). Incapaz de deixar seus sentimentos de lado, Rachel tem que escolher entre o amor e a amizade.
Bem, esquece a cara de fofo do John Krasinski no pôster. Ele é descartável para a trama. Foca no trio Ginnifer, Colin e Kate. Basicamente a Kate repete o papel lá de "Noivas em fuga"... A Darcy é quase insuportável de PRECISAR ser o centro das atenções. Não importando por quem ela passe por cima.


Após o "incidente" da noite de seu aniversário, Rachel se vê em uma sinuca de esconder algo da melhor amiga e finalmente ter tido a oportunidade de ficar com seu crush de faculdade. Sim, Rachel tinha uma quedona (não era queDINHA) pelo Dex desde o primeiro dia de faculdade, eles se tornaram melhores amigos, mas por insegurança, ela meio que jogou Dex nas mãos de Darcy e a besteira estava feita! 
Nesse filme a leveza já fica um pouco de lado, apesar dos tons de piadinhas, mas:
- Rachel percebe que as coisas podem ser mais leves e deixar de ser uma maria-vai-com-as-outras.
- Dex é um TRAIDOR sim junto com a Rachel, mas tão bonito o embuste.
A trama vai desenrolando e vemos o quão as relações são frágeis por puro ego. Não rola só a traição que começa toda a trama. Só digo isso pra vocês.
O filme vai se desenrolando entre o trio até vésperas do casamento de Dex e Darcy e o desvendar de muita lama entre os finos de Nova York. O fim é meio amargo para mim, mas a surpresa maior foi descobrir que é BASEADO EM UM LIVRO! Esse aí rosinha, com cara fofa? Pois é. É o primeiro de uma série da Emily Giffin (conhecida por adorar um drama de derramar lágrimas) e veio para o Brasil com o título "Presentes da Vida".
Como eu disse lá em cima, esse filme é um que eu amo e odeio, desde que vi pela primeira vez na TV a cabo, mas se tiver passando na programação e uma volta pelo controle remoto me fizer parar nele? Eu assisto. Deve ser meu papel de trouxa falando mais alto até para me derreter por comédias românticas...
E então? Qual o filme (ou filmes) que você acha que Vale a pena se apaixonar de novo?
Renata Pamplona
PUBLICADO POR

"Lendo e resenhando muita coisa da cultura pop. Inevitavelmente Geek e apaixonada por mais personagens fictícios que pode contar."

Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As