08 abril 2018

Vi na NETFLIX: Desventuras EM SÉRIE - 1ª temporada



Hoje vim comentar um pouco sobre uma das minhas séries favoritas atualmente: Desventuras em Série. A série é produzida pela Netflix e dia 28 fora laçada a 2º temporada de um total de três temporadas.
Para quem não sabe, a série é inspirada nos livros de Lemony Snicket, pseudônimo do autor americano Daniel Handler. Com um total de 13 volumes, a série apresenta 2 episódios para cada livro, logo foram apresentados 8 episódios (4 livros) na primeira temporada, 10 episódios (5 livros) na segunda temporada e podemos esperar mais 8 episódios (4 livros) para a temporada final. Os livros também tiveram uma adaptação para o cinema de 2004, quem já conferiu pode ter virado um grande fã (assim como eu).


Sinopse: Os órfãos Baudelaire são três irmãos muito inteligentes; Violet é a mais velha, Klaus é o irmão do meio e Sunny é a mais nova, com três anos. Quando seus pais morrem, eles passam a morar com diferentes tutores, e o primeiro é Conde Olaf, que irá tentar roubar a enorme herança deixada pelos pais.

Desventura em série, é uma história voltada para o público juvenil muito fora do comum, pois para quem não gosta de histórias tristes o autor já recomenda que não assistam a essa série/livro/filme. Os Baudelaire são crianças excepcionais e sempre viveram uma vida feliz até um incêndio misterioso que abateu sua casa e matou seus pais. Violet é a irmã mais velha, muito corajosa e perspicaz, ela é capaz de inventar, construir, consertar qualquer coisa, Klaus é o irmão do meio, ele é o mais erudito do grupo, tendo lido todos os livros de sua biblioteca, é capaz de lembrar-se do conteúdo de qualquer um para ajuda-los nos momentos mais adversos, e a pequena Sunny, é a caçula ( e ainda um bebê) mas não perde em nada para seus irmãos em coragem e inteligência, inclusive os salvando em vários momentos, e ainda é capaz de cortar qualquer coisa com seus dentes. A partir de então, eles viverão uma vida repleta de desventuras em séries, fugindo do Conde Olaf, seu primeiro tutor após o incêndio, que tem o único objetivo de roubar sua herança. Só que a história não termina por ai, pois durante o decorrer dos eventos, descobrimos uma cadeia de mistérios e uma sociedade secreta que circundam esses acontecimentos.

A Netflix nos traz uma nova roupagem muito mais sombria que o filme, com a atuação fantástica de atores como Neil Patrick ( Conde Olaf), Malina Weissman (Violet Baudelaire), Louis Hynes (Klaus Baudelaire), Presley Smith ( Sunny Baudelaire), Lucy Punch (Esmé Squalor), entre muitos outros.

1º TEMPORADA


MAU COMEÇO: PARTE 1 E 2


Mau começo nos faz uma pequena introdução à história dos Baudelaire, mostrando um pouco de suas vidas antes dessa série de eventos até o momento do incêndio e morte dos seus pais, situação que muda completamente suas vidas. Eles então são levados para seu novo tutor, Conde Olaf, um ator falido e sem sucesso, que os obriga a trabalhar como empregados em sua casa, só que ele possui motivos mais sórdidos que esse. Conde Olaf, deseja a herança dos Baudelaire e fará qualquer coisa para consegui-la, inclusive através da morte e do casamento deles. 

Os primeiros episódios fazem uma introdução à história, apresentando-nos personagens importantes para o decorrer da história. A Netflix nos traz uma adaptação mais sombria que o filme, o que nos faz estranhar inicialmente. Tenho que confessar que quase desisti nos primeiros episódios, pois não gostei muito da atuação e do modo que foi adaptado, mas com o passar dos episódios, fica claro um desenvolvimento de suas atuações e você começa a simpatizar com a série.


A SALA DOS RÉPTEIS: PARTE 1 E 2


Livres do Conde Olaf, finalmente parece possível aos Baudelaire uma vida feliz. Tio Monty Montgomery é um herpetólogo (estudioso de cobras) e vive numa casa repleta dos mesmos para seu estudo. Recentemente, Tio Monty fez uma descoberta revolucionária de uma nova espécie: a Víbora Incrivelmente Mortífera, mas nem tudo é o que realmente parece. Tudo ia muito bem, inclusive os Baudelaire descobrem ligações estranhas entre seus pais, tio Monty e Conde Olaf, até a chegada do novo assistente de Monty. Stephano, o novo assistente, é nada mais nada menos que Conde Olaf fantasiado e ele fará de tudo para reaver os órfãos.

Temos uma adaptação supreendente de Aasif Mandvi como Monty e também o inicio das divertidas atuações de Conde Olaf (Neil Patrick), de muitas que serão apresentadas. A partir desses episódios que me apaixonei pela série e desde então não parei mais de acompanhar. Nesse episódio, fica claro que existe muito mais mistério por trás de toda essa história e que a morte dos pais dos Baudelaire pode não ter sido apenas um acidente.


O LAGO DAS SANGUESSUGAS: PARTE 1 E 2


Após a morte de Monty, Violet, Klaus e Sunny voltam à estrada em busca de um novo tutor, agora a irracional Tia Josephine. Tia Josephine é uma pessoa cheia de fobias e que odeia erros gramaticais, mas apesar de tudo se mostra uma guardiã muito amável para os órfãos. Ela vive isolada da sociedade em uma casa em ruínas, com vista para o Lago Lacrimoso, esse cheio de sanguessugas que se alimentam pessoas com o estômago cheio. Josephine já foi uma feroz e formidável mulher, mas após a morte de seu marido pelas sanguessugas, nunca mais foi a mesma. Mais uma vez, os Baudelaire vivem uma vida feliz (apesar das loucuras de Tia Josephine) e voltam a descobrir novas evidências misteriosas de uma organização secreta, mas nada de bom dura por muito tempo na vida das crianças. Certo dia, Tia Josephine apresenta-lhes Capitão Sham, nada mais nada menos que Conde Olaf, só que como sempre, mais uma vez não acreditam na história dos Baudelaire e tudo vai de mal a pior.

Achei uma adaptação muito boa do episódio do lago das sanguessugas, comparando com o filme (pois infelizmente ainda não li os livros). Mais uma vez você se encontra numa situação muito frustrante, como Conde Olaf consegue enganar a todos com seus disfarces? Mais como sempre, Neil Patrick nos traz uma adaptação muito divertida do famigerado Conde Olaf. Enfim, tudo parece uma grande desventura mesmo, mas parece que estamos mais próximos de descobrir a verdade por trás de todos esses eventos.


SERRARIA BAIXO-ASTRAL: PARTE 1 E 2


Fugindo do Sr. Poe, administrador de sua herança e quem escolhe seus tutores (e totalmente mané), os Baudelaire vão atrás da Serraria Baixo-Astral, a serraria da fotografia achada na casa de Tia Josephine. Ao chegarem à serraria, eles são obrigados a trabalhar para compensar pelo incêndio supostamente causado por seus pais à cidade. Só que algo muito estranho ocorre entre os trabalhadores dessa serraria, todos são anormalmente felizes, parecendo robôs. Após Klaus ter seus óculos quebrados, ele é obrigado a visitar a optometrista Georgina Orwell, só que volta totalmente diferente depois de sua consulta, como que hipnotizado. Mais tarde, os Baudelaire são avisados que há visitantes a sua espera, e na esperança de serem seus pais, ficam totalmente chocados a encontrarem a Dra. Orwell e sua assistente “Shirley”, mais um disfarce de Conde Olaf. Descobrindo que todos estão em transe, os Baudelaire, pelo menos uma parte deles, corre contra o tempo para salvar Klaus e os trabalhadores e fugir da hipnose da perigosa Dra. Orwell.

A partir daqui, a história se tornou totalmente inédita para mim. Então chegamos assim ao final da temporada, com mais perguntas do que respostas, mas aparentemente os Baudelaire estão cada vez mais próximos de descobrir algo. Acho que uma das coisas mais chocantes desse episódio é como fomos tapeados totalmente, mas como fomos avisados desde o princípio: essa não é uma história feliz. Enfim, fiquei totalmente ansioso pela chegada da próxima temporada e pareceu uma espera sem fim.