27 março 2018

[Resenha] Bossman / O Chefão, da Vi Keeland


Coincidências de achar o cara charmoso / embustinho e ele ser seu novo chefe? Adoramos! 

Sinopse: Na primeira vez que vi Chase Parker não causei exatamente uma boa impressão. Eu estava escondida em um restaurante, mandando mensagem para minha melhor amiga me salvar de um encontro terrível. Ele ouviu, disse que eu era uma canalha e começou a me oferecer conselhos não solicitados de namoro. Eu disse a ele que cuidasse de sua própria vida e voltei para meu encontro miserável.
Ao passar pela minha mesa ele sorriu e eu assisti seu traseiro sexy e arrogante voltar para seu jantar. Não pude evitar trocar olhares com o idiota condescendente do outro lado do restaurante.
Quando o deslumbrante desconhecido e sua acompanhante aparecem de repente em nossa mesa, pensei que ele iria me denunciar. Mas, ao invés disso, ele fingiu que nos conhecíamos e se juntou a nós - contando histórias elaboradas e embaraçosas sobre nossa suposta infância. E, sem que eu me desse conta, meu encontro tedioso se tornou extremamente excitante.
Depois que nos separamos, não consegui parar de pensar naquele estranho que jamais veria novamente. Afinal, quais eram as chances de encontrá-lo de novo em uma cidade com oito milhões de pessoas?

Não adianta falar "Ah, mais um cara padrão rico e cheio de si"... Carol e eu sabemos disso. Inclusive (ó o jabá!) falamos dos embustes no Supercast! Homens egocêntricos em comédias românticas... algo de novo? Não, mas nessas histórias a diferença é que a vida não é tão fácil na realidade. Tem mais tropeços, menos dinheiro, mais suor e menos saídas fáceis e até menos beijos... 
Chase e Reese se conhecem em um encontro chatíssimo dela. Chase chega para resgatá-la porque atração é atração e não dá para negar. Às vezes você tem que tomar uma atitude. O improviso salva Reese de uma noite chata com mais um encontro, que se mostra padrão semanas depois quando ela saiu com outro cara aleatório e nada de química.
Caçando emprego online, ela entra no Facebook e procura por Chase e DESGRAÇADO, COMO O HOMEM PODE SER TÃO LINDO? Depois de uma volta à caçar emprego online e salvar uma foto da maneira errada... entrevista de trabalho (morar em Nova Iorque é caro, gente) e quem ela acaba encontrando? Oi, Chase. 
Detalhe, não sei como foi traduzido, mas o apelido que ele dá para ela no original é "Buttercup" e é uma delicinha de palavra. E, claro, "Chefão" é o apelido que ela dá para ele.
"Algumas vezes você não sabe o que está perdendo até achá-la."
Bem, logo descobrimos que os dois são beeeem azarados no amor, em especial Chase com uma tragédia que me fez colocar a mão no peito e respirar fundo.
Os capítulos variam do ponto de vista do Chase e da Reese, mas o equilíbrio entre bom humor e drama, além da escrita fluida da Vi está sempre presente. A paquera entre empregada e empregador rola solta e com os improvisos e teimosia dos dois, só torna mais divertido ler.
"Ter medo é quando você deixa o medo controlar sua vida, deixa te impedir de fazer o que você quer. Quando você está com medo, mas olha o medo no olho e vive, isso é corajoso."
Também não posso deixar de mencionar as cenas hot porque a mulher sabe escrever essas, viu? 
Se apaixonar, descobrir mais detalhes sobre o outro e ah, finalmente se dar conta que aquilo é amor também é ponto para a Vi.
"Se cada um de nossos beijos fossem uma estória, este seria onde o herói ficou com a garota e eles partiram na direção do pôr-do-sol."
A recompensa de ler a Vi Keeland são boas risadas e alguns namorados literários com momentos românticos para desejar um mozão.


Título: Bossman / O Chefão
Autor: Vi Keeland
Ano: 2016 (Kindle) / 2018 (Essência) 
Editora: Independente (Kindle) / Essência (Brasil)
Páginas: 319 (Kindle) / 304 (Brasil, versão física)
Classificação:

Vi Keeland é uma autora com milhões de cópias vendidas. Seus títulos apareceram em mais de noventa listas de mais vendidos e atualmente foram traduzidas para mais de vinte línguas. Ela reside em Nova Iorque com seu marido e três filhos, onde vive seu próprio felizes para sempre com o garoto que conheceu aos seis anos de idade. (Bio via Goodreads)











OBS.: Todas as citações foram traduzidas livremente pela colaboradora.