Pausa Viu: Tomb Raider - A Origem


Uma jovem e aventureira Lara volta para um filme de origem.


Sinopse oficial: Lara Croft é a independente filha de um aventureiro excêntrico que desapareceu anos antes. Com a esperança de resolver o mistério de seu pai, Lara embarca em uma perigosa jornada para o último destino conhecido de seu pai - um túmulo lendário em uma ilha mítica que pode estar em algum lugar ao largo da costa do Japão. As apostas não podiam ser maiores, pois Lara deve confiar em sua mente aguda, fé cega e espírito teimoso para se aventurar no desconhecido.
Bem, mais um Pausa Viu e como vocês sabem, eu gosto muito de me guiar em imagens liberadas dos filmes para comentar sobre os mesmos e com Tomb Raider - A Origem não vai ser diferente.


Baseado no jogo de 2013 de mesmo nome. Aqui teremos Alicia Vikander como Lara, aparentemente uma jovem de 20 e poucos anos, que está tentando levar a vida longe no nome Croft. Essa Lara não tem tanto em comum com a da Angelina Jolie, então esqueça caras e bocas e closes no corpão. A menina Lara apanha que só e eu passei mais do filme me encolhendo das porradas que ela levava.
Ao ter um probleminha com a lei, Lara encontra uma funcionária de seu pai que a leva a receber mais um mistério do Sr. Croft, que aparentemente estava criando Larinha para ser crossfiteira.
A Lara aqui é cheia de daddy issues. Aliás, deixa eu te definir essa Lara em três características: teimosa, aventureira e ingênua, essa última mais predominante ainda pela carinha de perdida da Alicia.

#Partiu para costa asiática? Sim. Sabe o "ingênua" que eu joguei lá em cima? Pois é, a Lara é roubada. ROUBADA. Lara Croft sendo tapeada por um bando de pivetinhos? Tem.
A parte aventureira começa quando ela convence um capitão bêbado viciado em jogos a lhe levar por uma quantia genero$a a seu destino. Não crível. Sorry. Não pude crer que a Alicia conseguiria convencer ninguém a nada. A aventura começa a soar meio Velozes e Furiosos se fosse estrelado pelo Tom Cruise...

Impressionante de verdade foi ver as cenas dos jogos transpassadas para a telona. Nossa... sério. Lembro de ter visto em 2013 uma colega jogar e ficado impressionada no quanto a Lara apanhava no jogo (além da mobilidade e agilidade do game) e... o filme não deixa a desejar nesse quesito, como eu disse acima. As cenas são SIM impressionantes e Alicia, que é um tiquinho de gente, teve que treinar muito e valeu a pena. 

Ao contrário do game e dos filmes passados, Lara está praticamente sozinha. Em "A origem" ela conta apenas com Lu Ren como aliado. Os dois, em alguns momentos, parecem ter uma conexão telepática ou foi má edição do filme pois não consegui entender o "se vira aí para salvar o povo" e o Lu simplesmente ir de capitão de barco a paixonite pela Lara + mercenário com boa mira.
OBS.: Eu queria essa fanfic, viu? 👀

Eu queria não puxar o saco do vilão, mas o ator Walton Goggins já tem a vibe vilão e quase rouba a cena. QUASE.

Já falei das cenas game/filme, não é? Mas sério. Vale a pena.
Razão pela qual fui assistir o filme mesmo não sendo lá essas coisas de fã da Vikander: a armadilha de girl power. Quero mesmo que dê certo e que a menina Alicia aprenda a fazer mais carão e menos cara de confusa com a musa Lara. Quero ver mais mulher protagonista em filme de ação. 

Lara tem um encontro inesperado na ilha... NÃO VOU DAR SPOILER, mas tadinha da Larinha. 💔
Apesar dos pesares com a atuação da Alicia (vou culpar o diretor), eu gostei do filme. É um filme de origem que pode trazer a franquia de volta às telonas para mais filmes, inspirar mais heroínas, tem tiro, tem ação, tem mistério, tem conspiração (QUERO SABER O RESTO DISSO VIU, WARNER?!)... pega a pipoca e aproveita.

Aí a cena que estava esperando: Lara, de trancinha, com armas na mão e pronta pra detonar... AI QUE DELÍCIA, CARA. ATIRA EM TODO MUNDO, SUA LINDA.
Renata Pamplona
PUBLICADO POR

"Lendo e resenhando muita coisa da cultura pop. Inevitavelmente Geek e apaixonada por mais personagens fictícios que pode contar."

Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As