12 fevereiro 2018

[Resenha]: A Guerra que Salvou a Minha Vida - Kimberly Brubaker Bradley

C:\Users\Natalino\Downloads\27946343_1593607357397138_1784108738_o.jpg
Ergui o olhar para encará-la. Eu tinha sobrevivido. Talvez. Ainda poderia? Trancada no apartamento, não fazia a ideia de tudo que estava perdendo.

Sinopse: A Guerra que Salvou a Minha Vida é um daqueles romances que você lê com um nó no peito, sorrisos no rosto e – entre um parágrafo e outro – lagrimas nos olhos. Uma obra sobre as muitas batalhas que precisamos vencer para conquistar nosso lugar no mundo. Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando. Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor.
Mais um título do selo Darklove (livros escritos apenas por autoras) da editora Darkside, o livro A Guerra que salvou a minha Vida é um relato de uma garotinha guerreira que viveu durantes seus 10 anos de vida em cárcere, devido a fato de ter nascido com um pé torto, que para sua mãe era um sinal do demônio. Para muitos a guerra representa o fim de várias vidas, mas para Ada é apenas o começo da sua.
C:\Users\Natalino\Downloads\27946625_1593609564063584_636833765_o.jpg
Primeiramente, quando se fala em Darkside a primeira coisa que pensamos é: design maravilhoso. Sem dúvida, mais um belo trabalho produzido pela editora que sempre nos possibilita belas e maravilhosas edições de seus livros. Esse sim é um livro que você compra pela capa só para de tê-lo na sua estante. Entretanto, A guerra que salvou a minha vida não é somente capa, mas também conteúdo.
C:\Users\Natalino\Downloads\27946393_1593607864063754_669296366_o.jpg


O livro nos embarca em uma bela história de superação, não somente da Ada, mas também de todos os personagens envolvidos. Claro, temos a nossa protagonista chamada Ada, uma garotinha que só não tem tamanho, contudo marcada por diversas cicatrizes. Tenho que confessar que em certos momentos a personagem se torna um pouco chatinha, porém claramente podemos notar como sua vida foi difícil, e que isso lhe marcou profundamente, então se torna completamente compreensível suas atitudes não obstante vemos seu gradual crescimento durante toda a narrativa.

A garota bem a minha frente – a mais maltrapilha, mais repulsiva que eu já tinha visto- usava uma pia diante da minha, o que era estranho. Franzi o rosto para ela, e ela franziu de volta.
De repente, percebi que era um espelho.

Jamie, irmão da Ada, é uma graça de garoto, só que igualmente é um garotinho marcado pela vida. Apesar de Ada ser quem cuida dele, Jamie é um grande apoio para ela, afinal é o único que lhe fez companhia durante todo o seu período de cárcere. Susan é uma uma mulher com suas próprias cicratizes que tenta criar Ada e Jamie da melhor forma possível. O que ela não esperava é que assim como ela para eles, eles se tornam o apoio que ela precisava para superar suas perdas. Susan é uma personagem extremamente forte que nasceu fora de sua época, por isso acaba sendo um pouco excluída pela população local.

O livro é contextualizado durante o período do proeminente inicio da Segunda Guerra Mundial na Inglaterra. Então, somos envolvidos em diversas noticias e cenários da guerra, que para mim, vieram só acrescentar ainda mais conteúdo para narração (eu pelo menos adoro esses tipos de informações extras que só vem a acrescentar ao leitor mais conhecimento).

C:\Users\Natalino\Downloads\27946879_1593610260730181_1098604631_o.jpg
Enfim, uma narrativa muito emocionante que nos mostra o valor de nossa liberdade e que o apoio de alguém que realmente se importe com a gente é super importante para a vida de uma pessoa. Podemos nascer e morrer sozinhos, mas a caminhada se torna mais difícil quando não temos ninguém ao nosso lado. Uma história de superação, onde uma garotinha tem a incumbência de superar duas guerras: uma guerra consigo mesma e uma grande guerra mundial.
Para quem tiver interesse, a Darkside disponibiliza para leitura o primeiro capitulo do livro (aqui).
Agora uma grande notícia para os leitores, no mês de Fevereiro está chegando às livrarias a continuação dessa história incrível. Intitulado A Guerra que me Ensinou a Viver, o livro é uma continuação direta da história desse livro. Ele já está disponível em pré-venda, então corre e adquire logo os dois. Espero logo mais poder fazer a resenha desse livro também. Você pode adquirir nesse link.
C:\Users\Natalino\Documents\JOÃO\RESENHAS DO PAUSA\guerra-ensinou-viver-kimberly-bradley-darkside-03-site.png






 Titulo: A Guerra que Salvou a Minha Vida;
Autor(a): Kimberly Brubaker Bradley;

Capa dura: 280 páginas;
Editora: Darkside Books;
Ano: 2017;
Idioma: Português;
Compre na Amazon.

Classificação: 4.5/5