Pausa viu: Sobrenatural: A Última Chave


“É melhor gritar antes que ele te cale”.




Sinopse: Elise Rainier (Lin Shaye) é chamada para resolver o caso de uma assombração no Novo México. O que seria apenas mais um caso ganha ares especiais quando Elise descobre que a atividade sobrenatural está acontecendo justamente na casa em que ela passou a infância. Enquanto tenta resolver o caso do morador de sua antiga casa, ela será obrigada a confrontar vários fantasmas e demônios de sua infância, alguns literais. Ao lado de Specs (Leigh Whannell) e Tucker (Angus Sampson), Elise se depara com seu caso mais pessoal.
É um filme bem interessante, quando se trata de uma franquia. Explicando a origem de tudo. Aqui temos a história de Elise, uma senhora simpática que tem um dom de ver espíritos e ajuda pessoas que moram em lugares onde eles estão.Uma médium. Mas, neste filme é diferente, aqui vai abordar a casa de Elise onde viveu na sua infância, o lugar que tudo começou.

Quero dar graças, por ter cenas de humor neste filme, porque não daria para assistir tudo. O humor é revelado a partir dos assistentes de Elise.

Enfim, no começo do filme mostra a vida de Elise, como o seu dom afetava a sua família. O irmão menor tinha medo, sua mãe encorajava-a. Mas, o seu pai não tinha apenas medo...também raiva. Há algumas cenas violentas. Em uma das brigas do pai com Elise, ela fica no sótão, até que ela encontra uma porta que alguém fala com ela, e destranca neste momento tem um tremor na casa, a mãe vai até o sótão para ver Elise, não era boa hora. A mãe morre, porque a entidade que Elise deixara entrar a matara. Isso fica na mente do pai e dela. No decorrer dos anos, a entidade permaneça na casa. 


Elise e seus assistentes.

Agora, Elise é uma senhora de idade, e recebe um telefonema, dizendo que tem coisas estranhas acontecendo na casa. Porém, ela não que ir. Pois era sua casa de infância. Tudo começa a ser reconstruído. Ao voltar para cidade natal, reencontra o irmão que ainda tem raiva dela. Ela descobre que tem duas sobrinhas. Uma delas fica presa no mundo dos espíritos. A outra tem o mesmo dom da tia. Aqui temos muitas cenas assustadoras, como no caso dessa entidade, é horrível. As mãos são como chaves, e tira a nossa voz, não podemos gritar. Tem cenas que apenas com o silêncio é terrível. Vocês sabem que esse é o quarto filme da franquia Sobrenatural, não é?! Então, eu geralmente peço que prestem bastante atenção no filme, porque tem uma cena muito peculiar no filme.

Algumas referências, a porta vermelha que é entrada para o outro mundo, é a porta do filme Freddy Krueger. E também, relembra uma cena clássica do filme, quando o Freddy Krueger passa a sua “mão” na parede. A entidade faz o mesmo. É fascinante quando o diretor colocar essa referências no filme, de certa forma dá um impacto de medo, o sentimento de pavor, e o que é medonho está mais próximo. Fica dica para assistirem. Eu fiquei com muito medo mesmo. Não contei tudo, porque seria spoiler,e ninguém quer isso, não é mesmo?! Até a próxima! 

Minha reação depois do filme.


Copyright © Pausa Para um Capítulo. Designed by Everton As