04 janeiro 2018

[Resenha]: O Corvo Um livro colaborativo

"Profeta!" - brado. "Anjo do mal, Ave ou demônio irreverente,
dize, por Deus, que está nos céus, dize! eu to peço humildemente,
dize a esta pobre alma sem luz, se lá nos páramos astrais,
poderá ver, um dia, ainda, a bela e cândida Lenora,
amada minha, a quem, no céu, os querubins chamam Lenora!"
E o Corvo disse: "Nunca mais."


Trecho do poema O Corvo de Edgar Allan Poe



Sinopse: O livro é uma homenagem aos 170 anos de lançamento do poema O Corvo de Edgar Allan Poe e reúne 60 textos e 15 ilustrações.Dos textos, 53 são de autores escolhidos do público, e sete são escritores de convidados: André Vianco, Rubens Lucchetti, Cláudia Lemes, Edyr Proença, Salomão Larêdo, Bruno Godói e Andrei Simões.Das ilustrações, três são de grandes artistas convidados: Zakura Aoyama, Eduardo Seiji e capa ilustrada pelo tatuador Victor Octaviano. As outras ilustrações vieram de artistas selecionados de várias partes do país.





Bem, vamos falar do Edgar e da belíssima homenagem de vários autores e ilustradores para os 170 anos do poema O Corvo. Que comecem os contos horripilantes… 

Eu não sou uma grande conhecedora do Edgar Allan Poe, porém sempre escutei falar dele. E neste livro encontramos muitos contos e poemas que são relacionados as histórias do autor, principalmente do poema. E para quem já tem uma intimidade com as obras dele, sabe quem são os personagens ou frases ditas nos livros. Eu fiquei muito surpresa com a precisão de cada autor e autora dentro desse livro, porque é de uma forma esplendorosa para escrever e homenagear um grande literato. 

São contos tão incríveis que dá vontade de pedir que tenha um livro só para eles. Porque a história acaba e você fica sem reação,porque ao virar a página tem outro conto um novo mundo. E os poemas são tão lindos e ao mesmo tempo tão sombrios, é como se eu estivesse lendo uma história de Edgar, a sua presença é rica em cada um deles.

NEVERMORE!

Eu não sei se era parte da homenagem, mas sempre em cada conto ou em cada poema, tem o nome do autor ou o corvo, ou uma frase dele. Todavia, o nome do autor sempre está lá, independentemente se é no título ou na história. 

Eu tenho os meus contos e poemas preferidos e alguns me deixaram triste pela enredo de tão bom. Meu emocional abalado. É fascinante a técnica de cada um escreve histórias diferentes, com personagens diferentes, mas usando que deram a eles, Edgar. Brinquem com o autor e mostrem que são capazes de escrever contos e poemas diferenciados. E cada tem uma imaginação. Eu lembro de um que utilizava o recurso de RPG e a religião juntos. Outros usavam a nossa modernidade e outros em épocas diferentes. No entanto, não perde a essência de Edgar Allan Poe.


Foto:blog estante da ana

São muitos contos e não dá para falar de cada um. Eles são incríveis e vocês devem ler. E quando eu li o livro, pensei: “Por quê ainda não li um livro de Edgar Allan Poe?” Quero ler, e muito. Ele é tão sombrio e tenebroso. Eu adorei o trabalho que fizeram, de certo é uma grande homenagem. Eu gostei muito das ilustrações. O que me chamava atenção era o nome Leonora que geralmente aparece nos contos, ou com troca de nome, porém sempre significando o nome da mulher dita no poema. O corvo sempre presente. A frase: Nunca mais. Enfim, leiam o livro que contém os contos e os poemas baseados no poema O Corvo. E se apaixonem pela literatura do autor homenageado. Até a próxima, e não esqueçam: Nunca mais!


               
 


Título: O Corvo Um livro colaborativo
Autor: Vários autores
Editora: Empíreo
Páginas: 325
Ano: 2015
Onde comprar: Amazon      
Classificação: 5/5