13 novembro 2017

[Resenha]: Corpo - Audrey Carlan


Entre o amor e o ódio!

Uma nova vida. Um novo amor. Um perigo real. A nova série da autora de A garota do calendário. “Eu te amo. Eu te quero. Eu nunca vou te deixar.” Gillian Callahan entra em pânico só de ouvir esse tipo de frase. Por anos ela viveu uma relação abusiva com seu ex-namorado violento. Agora ela está livre e segura, trabalhando para uma fundação de apoio a mulheres vítimas de violência — a mesma que a resgatou e salvou sua vida. Gillian não quer saber de homem nenhum. Até conhecer Chase Davis, o presidente da fundação. O bilionário é tão sexy e sedutor que Gillian fica sem chão. Chase sempre consegue o que quer — e ele quer Gillian. Agora ela terá de enfrentar a batalha entre o desejo e o medo. Gillian vai conseguir confiar em Chase? Ela está segura com ele? E quão perigoso pode ser um passado sombrio... não só o dela, mas o do homem que ela aprendeu a amar?
Oi gente! Hoje não sou eu (Carol) que está resenhando, convidei a AYLEEN DE PAULA colunista do SOODA para falar sobre "Corpo" o primeiro livro da nova série da autora Audrey Carlan, vem conferir.

Sabe aquele livro que te deixa constantemente com o sentimento entre o amor e o ódio? Pois é,foi exatamente como me senti. Tinha horas que eu queria abraçar o livro e momentos em quequeria tacá-lo na parede, de tanta raiva e frustração por conta de algumas atitudes da protagonista. 

Vamos conhecer Gillian Callahan, uma mulher de 24 anos, que passou por um relacionamento abusivo e foi salva pela Safe Haven. Neste tempo em tratamento, esta instituição a ajudou a superar seus traumas, erguer a cabeça e enxergar que não era culpada pelas agressões sofridas tanto psicologicamente, quanto fisicamente. 

Depois de anos tentando se reerguer, finalmente consegue o emprego dos seus sonhos, na Safe Haven, ajudando mulheres que também foram vítimas de relacionamentos catastróficos. Assim, participando de uma viagem a trabalho, ela conhece o Chase Davis, um executivo lindo, maravilhoso, gostoso, de olhos da cor do caribe, bilionário, (e blá, blá, blá), todo aquele estereotipo que a gente já conhece nos romances eróticos.

A atração entre os personagens (como quase SEMPRE acontece nesse tipo de livro) é imediata, e Gillian, se vê entre a cruz e a espada, pois ao mesmo tempo em que ela quer se envolver com o “Super Homem” maravilhoso, tem medo de estar entrando novamente em um relacionamento que irá lhe fazer mal. Entretanto, ela descobre que esse é o menor de seus problemas, e que na verdade, o nosso mocinho é o Presidente do conselho da instituição onde ela trabalha, ou seja, ele é seu CHEFE. 

Mas quem disse que esse fato impede alguma coisa, não é mesmo? Obvio que não né, quanto mais proibido, melhor. A partir daí, o enredo se desenvolve em torno dessa atração que ambos sentem um pelo outro, bem como vamos conhecer também a história de vida dos nossos protagonistas, pois os dois carregam bagagens pesadas referentes ao seu passado, refletindo sobre a personalidade deles no presente. 

Então, queridos leitores, vamos ao que eu achei sobre “Corpo”. Primeiramente, vamos falar sobre os aspectos positivos da leitura. É inegável o quanto este livro foi bem escrito, todas as cenas narradas foram muito bemdescritas, uma leitura leve e fluída, que me surpreendeu principalmente nas cenas eróticas, poistudo foi na dose certa e não fiquei incomodada com o linguajar picante dos personagens, afinal o enredo todo foi bem construído. 

Outro ponto positivo para a autora foram os temas abordados como os traumas dos protagonistas. Veremos um relacionamento extremamente abusivo em forma de flash backs, que tortura nosso psicológico, afinal, como se lê algo inventado, mas tão real ao mesmo tempo, que a gente sabe que acontece com milhares de mulheres, sem se comover? E a fase em que a autora introduz a Gillian é diferente do que estamos acostumadas a ler em outros enredos, ela não está mais destruída pelo trauma que sofreu, e sim, no processo de superação de medos e na tentativa de seguir em frente com a sua vida. 

Os personagens secundários elevam a história a outro patamar, simplesmente AMEI as amigas da Gillian, são tão gente como a gente, sabe? Dá alivio cômico e não deixa a história ficar cansativa em torno apenas dos personagens principais. Acabei rindo horrores em algumas partes! São mulheres totalmente empoderadas, que não têm vergonha de assumir seus desejos sexuais e são muito bem resolvidas em relação aos seus corpos. Mais um ponto para autora! (:

Mas infelizmente, existem pontos que não podemos deixar de observar como falhos, coisas que me irritaram MUITO! E não dá pra aceitar, okay? Quando a autora trás uma proposta como essa, mostrando uma mulher forte, que está superando traumas profundos, focando na importância do seu trabalho ajudando outras mulheres que também passaram pelas mesmas coisas, e ainda, personagens secundarias femininas, empoderadas e maravilhosas, que dão um toque especial à história, NÃO DÁ, simplesmente não dá pra aceitar a construção de um relacionamento amoroso totalmente possessivo entre Gillian e Chase, te mostrando aos poucos que é sim um tipo de relacionamento abusivo.

Mesmo demonstrando que algumas coisas ele faz pensando na segurança e no bem estar dela, não dá pra achar bonitinho e dizer “owwn”. Esse protagonista também é cheio de traumas, que vamos descobrindo ao longo da história e que pode justificar sua personalidade controladora e possessiva, todavia, nada justifica a protagonista, que já passou pelo inferno, deixar certas coisas acontecerem! É inaceitável! Só em pensar, fico com raiva de novo (hihi). Os momentos em que ela teve a oportunidade de se impor no relacionamento e deixou morrer no sexo, quase me fizeram chorar de raiva.

Ai você poderia me perguntar se ainda quero ler a continuação depois de todo esse desabafo... SIM, eu quero! hahaha. Tenho esperanças de que nos próximos livros a autora vá amadurecer a personalidade desses mocinhos, trazendo um relacionamento saudável. Não me entenda mal, é bonito ver eles se apaixonando um pelo outro, todo esse envolvimento que faz nós, leitores, dar aquele sorrisinho bobo, mas alguns pontos precisam ser melhorados quanto à personalidade, principalmente a do Chase.

Estou confiante de que os próximos livros nos mostrem a evolução do casal e claro, quero saber o que acontecerá com a Gillian, pois a autora deixou um super gancho para o segundo livro da série. Só espero que a Audrey, tenha realmente todos os elementos necessários para sustentar uma série com 5 livros sobre o mesmo casal, sem eu sentir que tudo poderia ser escrito em 2 livros. 

Espero que vocês tenham gostado da resenha e se inspirem a fazer a leitura e tirar suas próprias conclusões. 

Beijos!!


Título: Corpo
Autora: Audrey Carlan
Editora: Verus
Páginas: 306
Compre na Amazon.
Classificação:  

Audrey Carlan: Audrey Carlan escreve histórias de amor criadas para proporcionar aos leitores uma experiência sexy e romântica. Além de A garota do calendário, ela é autora das séries Falling e Trinity. Seus livros já figuraram nas listas de mais vendidos de jornais como New York Times, Washington Street Journal e USA Today. 
Audrey mora na Califórnia com o marido e dois filhos. Quando não está escrevendo, ela gosta de praticar ioga, tomar uma taça de vinho com as amigas e ler romances picantes.