30 novembro 2017

Quinta do Terror: Sob os olhos do delírio, de Fábio de Andrade

Arrepiante, acelerado e delirante.

O que um senhor solitário assistindo uma garotinha sendo dilacerada por um demônio saltitante, um velho apaixonado e Nikolai, um enfermeiro do hospício Muskov, têm em comum?
Nessa antologia, Fábio de Andrade afoga seus leitores em um mar de agonia enquanto os três infelizes protagonistas só conseguem distinguir a vida da morte enquanto o delírio não tiver consumido por completo seus corpos. Dilemas de desespero, amor e horror são expostos da forma mais simples e poética da palavra, trazendo três situações em que ele deixa na mão do leitor decidir: A tristeza é causa ou consequência?
Deixem que José de Alencar, o enfermeiro Nikolai e o velho marido de Lúcia lhe mostrem o real significado da melancolia em momentos que convergem no sentimento mais antigo e verdadeiro que a raça humana possui: o medo.
Cheguei pra invadir rapidinho a Quinta do Terror com uma antologia bem curtinha, mas não menos impactante!
"... os degraus choravam a cada centímetro que eu subia."
Bem, são 28 páginas de delírio poético... ou seria poesia delirante? Nessa antologia, Fábio de Andrade trata do medo como se fosse um amigo de longa data. Talvez o medo seja um dos amigos em comum que todos temos. 
Em três contos "O horrível fim de José de Alencar", "Em casa" e "Obmen-01" vamos com três protagonistas em três contos acelerados que parecem roteiros de uma série de TV. Sério! A única que eu pude pensar ao terminar (principalmente) "Obmen-01" foi "Eu quero isso na minha Netflix PRA ONTEM!". 
Claro que a primeira coisa que me veio à cabeça com "O horrível fim..." foi o de "Minha Deusa, eu preciso tirar meus colecionáveis do quarto..." #EntendedoresEntenderão
Sobre o sofrível "Em Casa"? Me lembrou um desafio para escritores de uns anos atrás com o tema Black Balloon, ou seja, você devia escrever sobre luto e/ou morte e eu quase desidratei de chorar em como tantas pessoas escrevem bem sobre morte. Não chorei com "Em Casa", mas coloquei a mão no peito e "tô abalada" saiu dos meus lábios.
Sob os olhos do delírio te faz sentir! Sentir pena do José, a dor do marido e a insensatez de Nikolai. E não é isso que a literatura deve fazer? Te arrancar um sentimento? Roubando as palavras do Fábio, lemos por um "infernal flerte com a curiosidade".
Dê uma chance essa antologia curtinha nacional. 😉

 
Título: Sob os olhos do delírio
Autor: Fábio de Andrade
ASIN: B075H84HRK
Ano: 2017
Editora: Independente
Páginas: 28
Compre: Amazon
Classificação: