05 setembro 2017

[Resenha]: Eleanor & Park - Rainbow Rowell

"Segurar a mão de Eleanor era como segurar uma borboleta. Ou um coração a bater. Como segurar algo completo, e completamente vivo."


Título: Eleanor & Park
Autor(a): Rainbow Rowell
Capa comum: 328 páginas
Editora: Novo Século; Edição: 1ª (24 de janeiro de 2014)
Idioma: Português
Compre Amazon.
Sinopse: Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e "grande" (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família.Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo. 

Oi Gente! Estava meio sumida de resenha não é mesmo? Mas vim falar hoje de um dos livros mais agridoces que eu li atualmente. Sabe aquele livro que mesmo que você queira um "final feliz" para o casal, você sabe que não pode ser? (ops! Spoiler). Eu li Eleanor & Park me perguntando o quanto tem da história da própria Rainbow nesse livro, não só dela, mas de varias meninas por todo mundo.

Park é meio coreano (me corrijam se eu tiver errada) meio americano, típico nerd da década de 80, que anda com seu walkman e Hqs de Sadman para todo lugar,  que apesar de não ser nem um pouco popular, pelo menos consegue se manter longe de problemas. Já Eleanor é uma adolescente bem diferente das outras. Com seu cabelo ruivo bem bagunçado, acima do peso e se vestindo de roupas masculinas acaba chamando atenção de todos a sua volta.

Ela vem de uma família totalmente desestruturada, se deparando todo dias com uma mãe submissa, um padrasto agressivo, a família vivendo em pobreza e seus irmãos cada vez mais carentes. Ele só quer finalizar os estudos e ir embora dali. Mas o destino prega uma pessa nesses dois, os colocando lado a lado, durante todos os dias no ônibus da escola.


Aí você pensa que vai ser mais um livro fofinho, com duas pessoas "excluídas" vão se conhecer, se apaixonar e viver felizes para sempre. Mas aí você se engana, uma das características da Rainbow é exatamente não te dar o previsível e o clichê. O livro vai tratar de temas muito pesados e muito importantes, como a importância dos padrões de beleza da sociedade, bullying, problemas familiares, sexualidade e corações partidos.
"Ele virou de bruços e enfiou o rosto no travesseiro. Pensava que não mais se importava com o que as pessoas pensavam dele. Pensara que amar Eleanor era uma prova disso."
Para mim tanto Eleanor quanto Park foram importantes para o amadurecimento pessoal de cada um, ele foi fundamental para ela se libertar, de toda a opressão e abuso que sofria. Já ela foi importante para ele amadurecer, decidir realmente o que quer ser e fazer da sua vida.

Esse é um livro de corações partidos? Não sei, pode ser. Mas a pesar de não ter tido um final que muita gente quis, porém teve um final extremamente necessário, real e para muitos cruel. Rainbow te deixa com uma pulguinha a trás da orelha sobre um possível final aberto, deixando a sua imaginação viajar.


Esse é um livro essencial, que todo adulto ou adolescente deveria ler. Um livro totalmente visceral e ao mesmo tempo apaixonante do começo aos fim.
"Eleanor não lhe escrevera uma carta; Era um postal. Com apenas três palavras."