02 setembro 2017

O Pausa Viu: Atômica (2017)

Lorraine Broughton, expert em coletar informações, luta e fuga = Atômica!


Bem, o que dizer de um dos melhores filmes de ação / espionagem de 2017? Só pelos trailers divulgados a Universal já me deixou com água na boca pois Charlize arrebentando todo mundo? QUERO.
Na sinopse oficial: Lorraine (Charlize) é uma agente disfarçada do MI6 enviada a Berlim durante a Guerra Fria para investigar o assassinato de um oficial e recuperar uma lista perdida de agentes duplos. Ao lado de David Percival (James McAvoy), chefe da localidade, a agente usará de todas as suas habilidades nesse confronto de espiões.




Eu poderia fazer uma lista de todos os pontos que amei nesse filme e não seria pouca coisa. Como todo filme de espião, nunca ninguém é realmente o que diz ser e as coisas não vão bem quando deveriam ir. Não sei se a direção ou alguém nas produtoras envolvidas estavam muito de cabeça aberta, mas se prepare para muito sangue e um ritmo de morde e assopra (luta x discursos). 
James McAvoy fez aqui uma continuação do que seria seu papel em Procurado se ele não tivesse nenhum senso de moral. Percival é um porre, misógino, cheio de si e que não mede esforços para se dar bem e isso inclui deixar um rastro de sangue no seu caminho.
O filme começa com Lorraine sendo interrogada por dois agentes que querem saber o que aconteceu durante sua missão, ou seja, sabemos que ela não morreu. Ela começa bem debochada e amargurada contando tudo e não deixa muita coisa de fora, isso inclui chamar atenção de seus superiores. 
Duas coisas que me chamaram muito atenção sobre o filme: paleta de cores bem adequada para o cenário político da época (muitas cenas com tons de cinza, preto e azul) e uma trilha sonora viciante (estou ouvindo Blue Monday desde quinta).


A missão original de Lorraine é posta em jogo quando Percival tem seu próprio jogo e ei, ela está certa de não confiar nele. Porém ela se envolve com a máfia russa, rede ilegal de contrabando, é perseguida pelos dois lados de uma dividida Berlim e uma inexperiente agente francesa interpretada por Sofia Boutella (Lembra dela em A Múmia, com o Tom Cruise, esse ano?)

Ver a customização e ambientação de Berlim e daquela época foi fantástico! A cena da última manifestação pública antes da queda do Muro em uma reconstrução visual aérea da cidade em particular capaz de tirar o fôlego do espectador.

O filme é baseado na HQ acima Atômica - A cidade mais fria e é lançamento da Darkside Books no Brasil nesse semestre. Assim que eu conseguir botar as mãos nessa belezinha, solto resenha sim. Aos interessados, ela lançou essa semana e já está disponível na mozão Amazon.
POR FAVOR, assistam Atômica e venham venerar a Charlize como eu estou venerando! Vocês acham que Furiosa (Mad Max) foi ação pra ela? Queridos, assistam esse filme e me digam se essa mulher não é uma das melhores atrizes de sua geração!