31 agosto 2017

Vi na Netflix: Atypical (2017)


Oi gente! Vamos estrear coluna nova aqui no pausa? Começa hoje o "Vi na Netflix" uma coluna que vamos falar somente dos filmes e séries originais da plataforma de streaming. Antes de começar, vou deixar bem claro que aceitamos sugestões viu! Pode deixar aqui nos comentários. Vamos lá!


Já pensou se tudo que é em excesso te incomodasse? Luz, som, ruido as emoções exacerbadas, meio difícil não é? Mas a vida de Sam é assim. Adolescente de 18 anos e diagnosticado com Espectro Autista desde muito cedo ele tem que lidar com o seu ultimo ano do ensino médio, as suas dificuldades de se socializar com os outros alunos e descobertas comuns nessa fase.

O narrador principal da série é o próprio Sam, que começa em uma sessão de terapia divagando sobre a sua capacidade de lidar com o mundo, dando brecha para Julia (sua terapeuta) a deixar uma pergunta no ar, e se ele arranja-se uma namorada? A partir desse questionamento o jovem vai entrar em uma busca incessável para arranjar uma namorada.

Todos os núcleos vão girar em torno dele e mostrar como a vida de uma família muda para que a pessoa com alguma deficiência tenha uma vida mais independente possível. Agora você pode imaginar uma mãe que passou a vida toda cuidando de uma filho, quando ela percebe que não precisa mais dela como deve ficar não é?!


Atypical tem uma leveza cômica que pouco se vê em séries ou filmes com um tema tão impostante. São 8 episódios com 30 minutos cada que passam voando! Quando você menos percebe já finalizou e quer ver mais. Você vai rir muito, ficar com vergonha das tiradas sinceras do Sam e muitas vezes ficar com os olhos cheios de lágimas com algum drama da família.

Sem me aprofundar muito, por favor! Vejam Atypical, essa série é maravilhosa e totalmente necessária!



Finalizando com o sorriso sincero do Sam! Até a próxima!