14 abril 2017

Sexta Geek: Nove artistas de quadrinhos que você encontra na CCXP Tour



Olá! Mais uma #sextageek e apesar de estar bem feliz de estar escrevendo, estou também triste porque está rolando a #CCPXTour em Recife e eu estou onde? Exatamente: Bem ouvindo Lana Del Rey em Belém do Para. Lembram do nosso post semana passada sobre o que vai rolar? Hoje vou ser mais específica e falar de alguns artistas de quadrinhos que estarão por lá. Mais especificamente, NOVE artistas que estão em destaque na programação oficial e você se inspirar e/ou simplesmente, amar as artes.
Bem, eu jurei que ia falar só de nove, mas vou abrir exceção logo aqui e falar desse post oficial maravilhoso da CCXP Tour, a arte tem a participação de cinco quadrinistas de reconhecimento mundial: layout geral do pôster e Mulher-Maravilha por José Luis García López, Batman por Eddy Barrows, Superman por Ivan Reis, arte-final por Joe Prado e cores por Marcelo Maiolo. Da mesma forma que os pôsteres das demais edições da CCXP, o pôster oficial da CCXP Tour é oficial também por ter sido produzido com autorização dos detentores dos direitos dos personagens, no caso a DC Comics.

Depois da presença marcante nas edições de 2014 e 2015 da CCXP, o quadrinista espanhol José Luis García-López retorna ao evento para participar da edição Tour. Nascido na Espanha em 1948, o artista foi responsável por uma revolução nos anos 1980 na forma como os personagens da DC Comics são vistos até hoje: recebeu a tarefa de criar as artes para o primeiro manual oficial da marca, o DC Comics Style Guide. Além de aclamados projetos, como Twilight (que lhe rendeu indicação ao Eisner), Road to Perdition e Cinder e Ashe. Desenhou também dois dos raros cross-overs que reuniram personagens das editoras DC e Marvel Comics: Batman vs Hulk (1981) e Doctor Strangefate (1997), pelo qual recebeu indicação ao Eisner.

Com presença já anunciada, Marcelo Maiolo é colorista das séries Batman Beyond eJustice League of America para a DC Comics, e Old Man Logan, para a Marvel Comics; Eddy Barrows atual desenhista do Batman na série Detective Comics, trabalhou com ilustrações desde livros didáticos até quadrinhos, sendo hoje desenhista exclusivo da DC Comics; e Ivan Reis, artista exclusivo da DC Comics desde 2004, responsável pelo sucesso do título do Aquaman com Joe Prado e Rod Reis no lançamento dos Novos 52, desenha atualmente o título da Liga da Justiça da América, que conta com arte-final de Joe Prado, também ele artista exclusivo da DC.

Vamos começar...


Para a primeira edição da CCXP Tour Nordeste, que está acontecendo nestes 13 a 16 de abril no Centro de Convenções de Pernambuco, estará o quadrinista brasileiro Ed Benes, conhecido por seus trabalhos nas editoras DC Comics e Marvel Comics em revistas como Capitã Marvel, Batman e Superman. Ed (ou José Edilbenes Bezerra) também é o co-criador de Canário Branco junto à roteirista Gail Simone, personagem que está no seriado DC’s Legends of Tomorrow, exibido pelo canal americano CW e no Brasil pela Warner.

Conhecido no mercado editorial desde 1993, quando foi convidado pelo mito norte-americano Neal Adams a ilustrar a revista Samuree, da Continuity Comics, Ed conta com célebres passagens nos anos 90 e 2000 em edições de Supergirl, Liga da Justiça da América e Aves de Rapina. Hoje o cearense mantém o Ed Benes Studio para aspirantes a quadrinistas, conhecido por treinar e inserir jovens no mercado de HQs.



Vitor participa do selo de graphic novels da Mauricio de Sousa Produções e assina, ao lado de sua irmã Lu Cafaggi, o álbum Turma da Mônica: Lições, e o Turma da Mônica: Laços, que inspirou uma adaptação cinematográfica para os cinemas, anunciada na CCXP 2015. Além disso, foi o responsável por recriar Chico Bento na MSP 50, uma série de livros com releitura de personagens clássicos da editora. Entre seus trabalhos destacam-se também a tira Valente, publicada pelo jornal O Globo, a sua primeira publicação independente, Duo.tone, e a coletânea de tiras Valente, publicadas pela Panini Comics.

Durante a CCXP 2016 a Mauricio de Sousa Produções anunciou a Graphic MSP Turma da Mônica 3, que será lançada pela dupla Vitor Cafaggi e Lu Cafaggi ainda em 2017. 



O recifense Thony Silas, conhecido pela sólida carreira internacional na DC Comics e na Marvel Comics. O artista é ilustrador de Captain Marvel e Mosaic, da Marvel, e desenvolve projetos com personagens de própria autoria, que os visitantes da CCXP Tour Nordeste poderão acompanhar o lançamento em primeira mão.

Thony começou sua carreira em 2000 como assistente de ilustrador. Passou a se dedicar ao mercado americano de quadrinhos em 2003 e, quatro anos depois, teve as primeiras oportunidades ilustrando para pequenas editoras internacionais. Em 2012, teve seu primeiro trabalho publicado pela Marvel Comics no título Amazing Spider-Man: Ends of the Earth, e desde então vem ilustrando títulos como Venom, Daredevil, Batman Beyond 2.0 e Superman & Wonder Woman.

“Thony Silas é um excelente talento brasileiro com passagens pelas principais editoras do mundo. O encontro com os fãs de sua região será inspirador e emocionante”, comenta Ivan Freitas da Costa, sócio da CCXP e curador da programação de quadrinhos do evento.



Bianca Pinheiro começou a publicar webcomics em 2012. Sua obra mais famosa, Bear, está em no terceiro volume e é publicada pela Nemo desde 2014. A história narra as aventuras de uma menina perdida em busca dos pais e encontra um urso que se torna seu amigo. 

A artista é reconhecida também pelas suas HQs independentes, como Dora (2014), que foi relançada no ano passado pela Editora Mino, Meu pai é um homem da montanha (2015), em co-autoria com Gregório Bert, e algumas short comics: Sustenido (2012), Adeus, Lourdes (2012), Ouro de Tolo (2012), Me Deixa Entrar, Mariana (2013), 24 Horas de Quadrinhos (2014), A Hora da Bruxa (2015) e O Instante (2015).

“Bianca Pinheiro é conhecida por suas obras cheias de personalidade, evidenciando a imponência do cenário nacional de quadrinhos e a presença crescente das mulheres no mercado de HQs. Sua participação vem enriquecer a crescente lista de convidados da CCXP Tour Nordeste”, comenta Ivan Freitas da Costa, sócio da CCXP e curador da programação de quadrinhos do evento.



O renomado Bill Sienkiewicz, vencedor do Prêmio Eisner de 2004 pelos desenhos da HQ Sandman: Noites Sem Fim (roteirizada pela lenda Neil Gaiman), da DC Comics, é um dos artistas a se conhecer. Bill é um dos artistas mais influentes de sua geração, chamando a atenção de toda a indústria a partir da década de 1980, principalmente por seu trabalho em séries clássicas como Elektra: Assassina e Demolidor: Amor e Guerra, da Marvel Comics, ao lado do mito Frank Miller. Seus trabalhos na arte sequencial incluem contribuições em títulos como Quarteto Fantástico, Cavaleiro da Lua, Novos Mutantes, Blade e Capitão América na Marvel, e Aquaman, Superman e Batman, entre outros, na DC.

Em um painel próprio na CCXP 2016, o artista apresentou uma masterclass especial e fez uma retrospectiva sobre sua carreira de mais de 5 décadas, já que decidiu ser desenhista aos 7 anos de idade, e sorteou uma arte feita ali mesmo para um fã.

Além das HQs, Bill tornou-se referência em outras mídias que contaram com sua criatividade artística, como na série animada Where in the World is Carmen Sandiego?, produzida pelo canal PBS e que rendeu a ele duas indicações ao Emmy Awards, em 1995 e 1996. A arte promocional de filmes como Batman: O Cavaleiro das Trevas, O Grinch e Os Imperdoáveis, entre outros, se tornaram icônicas graças a sua contribuição. Peças de publicidade, produção de shows, capas de livros e CDs, além do design de personagens em jogos de videogame também integram seu variado portfólio. É também um dos criadores do personagem Legião, que será o protagonista da nova série de TV do canal FOX.

“A presença de Bill Sienkiewicz na CCXP 2016 com seu traço único foi um dos pontos altos da programação de quadrinhos do evento. Queremos replicar essa experiência e marcar o público do Nordeste com sua presença especial”, ressalta Ivan Costa, sócio da CCXP e curador da área de quadrinhos do evento.


Mike Deodato Jr. estará na CCXP Tour Nordeste no estande da Fênix Geek House para sessões de autógrafos nos quatro dias de evento, além de painéis especiais que terão a programação completa divulgada em breve.

O artista desenha atualmente a revista mensal Old Man Logan para a Marvel Comics, obra que serviu de inspiração para o filme Logan, baseado em um arco específico da história do super-herói Wolverine.

Natural de Campina Grande (PB), Mike tornou-se quadrinista influenciado por seu pai, o jornalista, radialista, roteirista e também autor de HQs Deodato Borges. A carreira internacional começou depois da participação do XIII Salão Internacional de Angoulême, na França, quando teve trabalhos publicados na Bélgica, França e Portugal. Em 1994, tornou-se conhecido do grande público ao desenhar a revista da Mulher-Maravilha (DC Comics), sendo depois contratado pela Marvel – onde ainda é considerado um de seus artistas mais importantes – para ilustrar diversos heróis como Thor, Hulk, Homem-Aranha, Os Vingadores e a série mensal da personagem Elektra.



Mauricio Araújo de Sousa, paizão da Turma da Mônica, já é nome conhecido nos quadrinhos brasileiros. Com o humor lá em cima, já tenho que dizer que tio Mauricio já esteve marcando presença no primeiro dia de CCXP Tour!



Os painéis principais tomaram conta do Auditório Twitch, que conta com mais de 2400 lugares e recebeu Mauricio de Sousa, o convidado de honra. “Faz cerca de dez anos que não venho à Recife, a ‘Veneza brasileira’. Vocês não sabem, mas tenho sangue nordestino correndo nas veias”, disse o quadrinista, após ser recepcionado de pé pelo público.

Aos 81 anos e aparentemente incansável, o artista anunciou detalhes nas produções do próximo ano, os longa-metragens em live action, ou seja, personagens “em carne e osso”. O Turma da Mônica – Laços leva os personagens clássicos, ainda crianças, se envolvendo em brincadeiras, brigas e aventuras bacanas. Segundo Mauricio de Sousa, o filme está na fase de busca dos atores. O outro será a versão adulta dos personagens. O público vibrou ao ser exibido um teaser com o Floquinho “real”, o cachorrinho do Cebolinha.

Ele também aproveitou para apresentar dois projetos recentes da Mauricio de Sousa Produções que fogem às tradicionais histórias em quadrinhos: o Mônica Toy e o Bairro do Limoeiro. O primeiro é uma web-série de desenho animado, com episódios curtinhos, exibida apenas no canal oficial do YouTube. A sacada é que não tem dublagem e, por isso, é um produto universal, com mais de 240 milhões de views por mês. Brasil, Rússia, México e Estados Unidos são as maiores audiências. Já estão em produções spin-offs em versão toy. O segundo também é uma animação, só que resgata o antigo traço do quadrinista. “Eles pegaram desenhos de 40 anos atrás e remodelaram, com elementos modernos, em ritmo mais frenético”, revelou.

O painel contou ainda com a participação do Marcos Saraiva, Bruno Honda e Sidney Gusman, gerente comercial, designer e editor, respectivamente, da Mauricio de Sousa Produções. Os três se intercalaram na apresentação da nova temporada da Turma da Mônica clássica, em parceria com o Cartoon Network; dos novos graphic solo dos personagens Chico Bento, Bidu e Penadinho; e o crossover da Turma da Mônica Jovem e a nova versão em capa dura dosClássicos do Cinema.


O artista britânico conhecido como Jock esteve três vezes na lista dos mais vendidos do New York Times, conhecido por seu trabalho com o escritor Andy Diggle em The Losers da DC/Vertigo, e o premiado Batman: The Black Mirror, All-Star Batman e Wytches com o escritor Scott Snyder. Jock também produziu a arte, design conceitual e imagens promocionais para filmes como Iron Man 3, Hancock, Battleship, Children of Men, Batman Begins, X-Men: Days of Future Past,The Dark Knight Trilogy, Dredd, Star Wars: Episódio VIII e Ex Machina, vencedor na categoria Melhores Efeitos Visuais do Oscar 2016. Nascido em Glasgow, na Escócia, agora vive e trabalha em Devon, na Inglaterra.

“Jock é um artista incrível tanto nos quadrinhos como em concepts para grandes filmes. Os fãs de todas as artes poderão apreciar sua presença na CCXP Tour Nordeste”, comenta Ivan Freitas da Costa, sócio da CCXP e curador da programação de quadrinhos do evento.



Lenda viva da 9ª arte que venceu quatro Prêmios Eisner – o “Oscar” dos quadrinhos –, Paul Pope é responsável por obras inovadoras como THB, 100%, Heavy Liquid, além de uma releitura do homem-morcego em Batman: Ano 100. E meu mozão porque FILMA A CARA DESSE DEMÔNIO! QUE LINDO! #SóVemPaul

Na CCXP 2016, Pope participou de um momento curioso durante um painel ao lado de Frank Miller, quando o quadrinista brasileiro Rafael Grampá, que estava lá de mediador, mostrou de surpresa um projeto no qual colaborou com Pope anos atrás, a distância. Foi uma animação que faria parte do filme As Aventuras de Kavalier & Clay - a adaptação do livro de Michael Chabon, dirigida por Stephan Daldry mas que nunca saiu. Pope participou da pré-produção, e parte da animação foi feita no Brasil por Grampá.

Nascido em 1970, na Filadélfia (Pensilvânia, EUA), Pope um dos autores mais cultuados do gênero, conhecido por quadrinhos independentes e também por trabalhos em grandes editoras. Despontou em 1995 ao iniciar a publicação de THB, uma história de ficção-científica situada em Marte no futuro que rendeu ao autor sua primeira indicação ao Eisner, como Melhor Série Nova. De lá pra cá, Pope fez história na arte sequencial, com obras publicadas em sua própria editora, a Horse Press, e também pelas consagradas Dark Horse Comics (como One-Trick Ripoff) e pelo selo Vertigo, da DC (como Heavy Liquid e 100%).

Em 2006, com a história Teenage Sidekick publicado na revista Solo da DC Comics, o autor recebeu o primeiro Eisner da carreira (Melhor História Curta). Pope recebeu mais dois Prêmios Eisner no ano seguinte, de Melhor Escritor/Artista e Melhor Série Limitada, com a publicação de Batman: Ano 100. A história, que se passa em 2039, exatamente 100 anos após a primeira aparição do Cavaleiro das Trevas, foi colorizada por José Villarrubia. Recentemente, em 2014, a graphic novel Bom de Briga fez com que

Pope recebesse o quarto Prêmio Eisner de sua carreira, o de Melhor Publicação para Adolescentes.


O Artists’ Alley está presente na CCXP desde a primeira edição. Em 2014, reuniu 215 quadrinistas nos quatro dias de evento, ultrapassando a San Diego Comic Con 2014 em quantidade de expositores. Em 2015 foram mais de 265 artistas e em 2016 essa área cresceu novamente, passando a 336 mesas, suficientes para acomodar os 460 quadrinistas. Assim a Artists’ Alley Brasil se solidifica como a maior da América Latina e permanece como uma das áreas mais concorridas da CCXP.

“O mercado de quadrinhos no Brasil vem apresentando um crescimento significativo tanto na quantidade de lançamentos e de profissionais quanto na qualidade dos trabalhos desenvolvidos, e isso se traduz no Artists’ Alley que preparamos para a CCXP Tour Nordeste. O espaço é uma oportunidade para ter contato com grandes nomes dos quadrinhos nacionais e mundiais, além de conhecer novos talentos e seus trabalhos mais recentes”, destaca Ivan Costa, sócio e curador da programação de quadrinhos do evento.

Vale lembrar que o Artist´s Alley, área mais tradicional das comic cons mundo afora, será composta de 185 artistas divididos em 140 mesas na edição da CCXP Tour, então claro que não pude falar de CADA artista, mas a lista completa e suas introduções estão no site oficial. Fique à vontade para explorar cada um dos talentosíssimos artistas que estão na CCXP e nos trazem belíssimas artes.