27 abril 2017

Quinta do Terror: Caim, o Primeiro Vampiro.








Apoio-me em uma árvore e, finalmente o vejo: um cordeiro, preso em galhos. Ele berra inutilmente, pedindo por ajuda. O cheiro impregna minhas narinas e sigo, guiado por ele. Aproximo-me do animal. Ele fica mais agitado a cada passo que dou. Ajoelho-me em sua frente ao alcançá-lo. Ouço o som… Aquele som...Aquele líquido correndo. Eu preciso dele agora.


Título: Caim O Primeiro Vampiro 
Autora: Georgina Cavendish 
Editora: Novo Século
Páginas: 111
Ano: 2015 
Onde comprar: Amazon 
Sinopse: Caim vivia dos frutos do seu trabalho. Seus dias eram praticamente os mesmos até um sonho chamar sua atenção: oferenda era tudo o que Deus pedia. Mas, ao contrário do que imaginava, não seria a sua a ser aceita por Ele, e sim a de seu irmão, Abel.

Um momento de loucura. Morte. Caim é marcado para sempre. Agora, não somente o céu o rejeita, como a própria terra e o que ela tem a oferecer. Caim então é obrigado a vagar por ela com apenas uma coisa capaz de saciá-lo: sangue.


A primeira vez que ouvi falar desse livro foi em um evento de livros, com autores paraenses. Sim, essa autora é paraense ( palmas!). É muito bom saber que tem autores da nossa terra escrevendo, mas não contanto as nossas lendas, são outros assuntos. Quando li o título do livro eu pensei: “ WTF! Essa menina é doida,é? Escrever uma história de vampiro com um personagem da Bíblia como origem dos vampiros.’’ Quando ela começou a explicar porquê escreveu a história, eu comecei compreendê-la. A autora gosta do universo vampiresco, e queria escrever algo sobre isso, mas com a origem, como tudo começou. Outro ponto interessante que ela falou, que é católica. Isso é interessante para escrever esse livro.


A história se passa com a mesma linha de raciocínio do Livro de Gênesis. Os pais, os irmãos, Abel e Caim. Se vocês conhecem essa história por alguém ter contado, lido a Bíblia ou ter assistido os desenhos bíblicos da Record, então não será um spoiler dizer que Caim mata Abel ;). Porém, depois desse acontecimento Deus fala com Caim: 


Este sinal será visto por todos aqueles que te encontrarem com a intenção de te fazer algum mal, e será o aviso para que não te causem nenhum dano.

É uma obra de ficção inspirada na história bíblica de Caim e Abel. Depois, de ter matado Abel, Caim vai vagando por terra sem fim, ele está com sede, e quando encontra água e a bebe, esta não se satisfaz a sua sede. Ele tem sede mas, não de água. Você já sabe o que é. Ou imagina. Um versículo do Livro de Gênesis que está escrito no início das páginas para ler a história, ele resume essa questão de Caim, por não ter sede e nem fome. 
“ Quando você cultivar a terra, esta não lhe dará mais da sua força. Você será um fugitivo errante pelo mundo”. ( Gênesis 4:12) 
No início do livro a autora escreve o motivo da história. E dizendo que há outras histórias envolvidas sobre o “primeiro” vampiro que no caso é o Caim, mas existem com outro gênero, então ela escolheu uma narrativa ficcional. 

Caim conhece Annabel, no qual tem um relacionamento e um filho. Calma! O Caim ama muito sua família, então ele não faz nada contra ambos, mesmo tendo sede de sangue, não transformaria sua família em vampiros. Mas, o irmão da Annabel não gosta de Caim, pois ele vê a marca que Deus colocou na testa de Caim. Aqueles que tiverem a intenção de machucá-lo vai ver a marca. 
-Pois bem. Se alguém matar Caim, será vingado sete vezes. 
Mateus não fala nada para ter paz com a irmã. Porém, há uma situação na vizinhança, mortes. Estão a procura do culpado. E Mateus jura de pé junto que foi Caim. Isso você saberá se começar a ler o livro. Tem mais situações que acontecem, porém eu não vou dizer. Leiam a história que me prendeu por três dias, mesmo sendo curta com apenas 24 capítulos. Geralmente, eu não gosto de livros que tem algo envolvendo Deus, a Bíblia e outros assuntos religiosos, mas gostei desse. Me senti a vontade de ler. Gostei da narrativa. Gostei dos versículos colocado em algumas páginas. Gosto de histórias vampirescas, são fascinantes. Não é um terror, mas vale a pena colocar na “ Quinta do Terror’’, vampiros sempre me darão medo, menos o Edward Cullen, aquele não assusta nem uma mosca (piadinha), vamos fica na paz fãs de Crepúsculo. Até mais, seres humanos. 


Georgina Cavendish nasceu e cresceu em Belém (PA). Estudou um ano em Kingston, Inglaterra, onde fez curso de Escrita Criativa.

Sempre foi fascinada por leitura, principalmente romances históricos, o que a fez despertar para a escrita e, atualmente, dedica-se a seus romances e crônicas.