30 março 2017

Quinta do Terror: A Entidade - Frank De Felitta

"-Abre-te, vagina...- riu-se a voz."


Título: A Entidade 

Autor: Frank De Felitta 
Editora: Nova Cultura 
Páginas: 478 
Ano: 1986 

Sinopse: Quem seria o ser diabólico que violentava aquela mulher indefesa? Testemunhadas pelos próprios filhos, vizinhos e psicólogos, as agressões redobram sua violência a cada novo ataque. Um inimigo forte e cruel subjuga Carlotta Moran, uma inocente viúva, mãe de três filhos, levando-a ao despero...







En-ti-da-de ( do latim entias) 

-SER, EXISTÊNCIA: algo que possui existência distinta e separada, real ou imaginária. 

A história começa com o depoimento do namorado de Carlotta. Suposto ter cometido um homicídio contra a mesma. Porém, no depoimento fica esclarecido de uma forma intrigante o que o ocorrera naquela quarto. O seus relatos são impressionantes, até mesmo aterrorizantes. Nem ele mesmo acredita o que ''vira'', ou tentara ver. 

Terror e Mistério em um caso de violência sexual 

Alucinação? 

Histeria? 

Carlotta é viúva e tem três filhos, Billy o mais velho que tem 15 anos, e duas meninas Julie e Kim. Todos moram em uma casa em um bairro simples. Ela faz curso de datilografia, é uma técnica de digitar sem olhar muito para as teclas e com certa velocidade, como a história ocorre na década de 70 os computadores não eram tão populares como hoje, então Carlotta faz na máquina de escrever. Pense, no curso completo de informática, era quase isso naquela época. Tinha que saber bem datilografar certo e com rapidez, como é uma resenha de história de terror, e não uma aula de história de equipamentos para ''escrever'', vamos adiante. Carlotta não tem emprego, então recebe ajuda do governo. Inclusive, esse curso de datilografia foi o governo que ofereceu para ela. 

Em uma noite, após todos recolhessem para dormir. Carlotta fizera o mesmo, indo para sua cama, quando de repente se senti com falta de ar, alguém está pressionado o travesseiro no rosto dela. Ela tenta lutar, mas não consegue se desvencilhar do ''agressor''. Até o momento que ela senti que está sendo abusada, porém não há nada que possa ver. ''Ele'' como é nomeado por ela durante a história, some quando ela grita e o seu filho aparece espantado ao ver a mãe em estado de choque. 

Durante a história, a visita desde ''ser'' é sempre à noite, e sempre com perturbações para a Carlotta. Até o momento ela pede ajuda para uma amiga para ficar na sua casa juntamente com as crianças. Fenômenos paranormais, como eu posso dizer acontece na casa de Carlotta. A amiga fala para ela ir ao psiquiatra, mas Carlotta, não que ir. O que dizer a ele? Fui abusada sexualmente por um fantasma ou algo parecido. Coisas acontecem em casa sem explicação. Dirá que ela está louca. 

Um acontecimento muito sério faz com que Carlotta, vá ao psiquiatra. É uma longa relação de paciente e médico, porque ao que tudo indica, o psiquiatra residente na área, acredite que seja ilusões, imaginação. É muito interessante essa parte como o autor descreve, porque você tende a acreditar que ele diz. Eu quase acreditara nele. O jeito como ele fala, das situações que a Carlotta conta o que acontece com ela. Mas, nem tudo são flores, os acontecimentos são reais, inexplicáveis ao ver da medicina. Tem uma situação que o próprio psiquiatra não tem reposta, quando Carlotta aparece com marcas no corpo em lugares que ela mesma não pode alcançar. O psiquiatra leva essa questão para o seu superior, o Dr. Weber. Ele fala que não existe essa situação dela ser abusada por algo invisível, acredita-se que ela tenha algum problema de saúde. 

O livro é divido em quatro partes. A primeira parte conta sobre Carlotta. A segunda é do psiquiatra Sneidermann. A terceira parte são os estudantes de parapsicologia Kraft e Mehan. A quarta parte é a Entidade. 

A situação de Carlotta apenas agrava. Então, ela não vê esperança de continuar com as consultas com o psiquiatra. Até acontecer outro fenômeno na casa da amiga dela. Ela fica na casa da amiga à noite, enquanto ela sai com o marido para o mercado. Então, começa os móveis sendo jogados na parede, quase tudo é quebrado. É nessa hora que o casal entra na casa e vê Carlotta chorando, eles viram o que acontecera. A amiga tem uma ideia, chega de psiquiatra. Vão procurar outro tipo de ajuda. Vocês devem imaginar o que vem por aí. Charlatões, pessoas que dizem que trabalham com ''espíritos''. Ora, se fosse eu chamava logo um padre ou o casal de demonólogo Ed e Lorraine. Tirando a brincadeira. Nenhuma dessas pessoas a ajudaram. 

Aqui entramos na parte que eu gosto muito. Dois estudantes de parapsicologia ajudam a Carlotta nesse problema. O que tem na casa dela é um... Não vou dizer vão ter que ler o livro. Mas, acredito que nos livros e nos filmes que são relacionados a esse tipo de gênero de espírito, pode-se tirar uma conclusão o que seja. Então, eles levam equipamentos para casa dela, tudo montado para ver esse ''Ele'' como ela definira-o. É muito interessante, pois eles conseguem um bom material, e levam para mostrar para professora. Em uma dessas noite de estudos na casa da Carlotta, o seu namorado volta de viagem, o Jerry. Ele fica espantado por tantas pessoas na casa, estudantes e a professora da universidade. Eles saem de casa para conversar, ela conta tudo. Quando voltam, não há mais ninguém na casa. Quando, Jerry tenta abrir a porta do quarto do Carlotta, no qual ela o espera ouve-se sons estranhos então....bem lembra na parte do depoimento que eu falara de início? Pois bem, nessa parte vai fazer sentido. 

Após esse episódio, a ciência psiquiátrica e a parapsicologia viram rivais pelos seus estudiosos. É uma disputa, pois a vida de Carlotta está em jogo, e o reitor não admiti ter experimentos desse porte para com uma paciente que visualmente está com sérios problemas de saúde. Uma reunião entre a professora e os dois estudantes, juntamente com o reitor e os outros doutores, um deles é o Dr. Weber e seu residente Sneidermann. Todos discutem para ter ou não a experiência com Carlotta. Por fim, após muitas conversas entram em um acordo. Mas, um dia depois o laboratório da professora é retirado para outras atividades mais ''adequadas''. Ela convoca a assembleia com todos os departamentos da universidade, ela faz um belo discurso para que os professores apoiem o projeto. 
"-Ouçamos de mente aberta – disse ela. -Lembremo-nos de que os progressos da ciência, se fossem mencionados há cem anos, causariam a expulsão do professor que neles falasse. Não façamos o mesmo erro. As viagens espaciais, as ondas eletromagnéticas, a energia nuclear- não passavam, há alguns anos, do produto de imaginações doentias. Os professores de ciências humanas não fazem ideia da rapidez com que as coisas ocorrem nas ciências experimentais, nem das pressões contrárias exercidas pelas autoridades que administram as universidades. Lutamos não só contra o acúmulo das mentalidades burocráticas das juntas governamentais, dos políticos universitários e dos meios de comunicação de massa; lutamos também contra conceitos antediluvianos das disciplinas que ensinamos, contando unicamente com o apoio ativo de vocês! Só desejamos uma oportunidade justa. Contentamo-nos com nossos 1,4 por cento da verba do departamento de psicologia e nossos 2,3 por cento de espaço alocado ao departamento inteiro. Isso é pedir muito? Deixem-nos o direito de inquirir, de cometer enganos, de falhar lamentavelmente. Mas, deem-nos o direito de existir. "
Eu peguei esse livro na biblioteca. É tão fascinante a história. Tem o terror, mas para mim o que tem, é a angustia de uma mulher que é abusada sexualmente, de um ser espectral e não ter ninguém que acreditasse nela. O sofrimento dos filhos vendo a mãe ficar louca. É tão ruim essa situação. Mas, a história me lembra muitos os filmes de hoje que são relacionados a esse tema. Tem duas cenas que me lembram o filme Invocação do Mal 2, tem uma parte que a Carlotta foge com os filhos da casa, é exatamente o que acontece com a mãe e os filhos no filme. E em Invocação do Mal, tem a cena de Ed e Lorraine na universidade explicando aos alunos sua ''profissão'' e as histórias. Acontece no livro, quando os dois estudantes falam sobre a situação da Carlotta. E falando em filme, esse livro teve a inspiração de um filme que se chama : O Enigma do Mal, de 1981. Ainda vou assistir. 

E quando tudo se resolve para ver a experiência, durante um mês eles observaram Carlotta dentro de um laboratório, fizeram uma réplica da casa dela. Um dos objetivos é marcar e presenciar o ser espectral. E claro, capturá-lo. Mas, será possível pegar um ''fantasma''? Deixou a dúvida para vocês. Digamos que acontece no laboratório é surreal, até aqueles descrentes de tal assunto ficam atônitos no que veem e ouvem. 
-Deixem-me em paz. Era um gemido das profundezas do inferno 
O autor não é tão conhecido pelos leitores brasileiros, mas vou falar um pouco dele. Antes de iniciar sua carreira em Hollywood, Frank De Felita serviu como piloto nas Forças Áreas Americanas durante a Segunda Guerra Mundial e em 1945 retornou a Nova York, onde começou a escrever roteiros. Seu primeiro esforço, para o programa de rádio semanal The Whistler, uma série de suspense popular, lhe rendeu $ 350 e começou-o em sua carreira de escritor. Ele continuou a escrever roteiros de rádio antes de se virar para a televisão, em que meio ele foi bem sucedido como um escritor, produtor e diretor, ganhando nomeações Emmy em 1963 e 1968 para seus documentários, bem como um Prêmio Peabody e várias nomeações Writers Guild. O primeiro romance de De Felitta, Oktoberfest (1973), um thriller, apesar de não ser um best-seller, ainda ganhou o suficiente para financiar o ano e meio dedicado ao seu próximo romance, Audrey Rose (1975). Este romance, uma história de horror envolvendo reencarnação, foi um best-seller sucesso, vendendo mais de 2,5 milhões de cópias e gerando uma bem sucedida 1977 adaptaçãocinematográfica (com roteiro de De Felitta) e uma sequela, For Love of Audrey Rose (1982). Seu romance The Entity (1978), baseado no caso real de uma mulher chamada DorisBither, que alegou ter sido assombrado por um estuprador espectral, também foi um bestseller e foi adaptado por De Felitta para um filme de 1982 estrelado por Barbara Hershey . 

Bem, eu adorei o livro. O final foi interessante. Fique bem comovida pela situação de Carlotta. É bom ressaltar, que o autor explica o passado dos personagens e que tudo faz sentido do jeito que eles são. Gostei da forma de escrita do autor, ele é bem detalhista em relção as ações dos personagens. A história não intediante. É sempre um ar de mistério,ação, terror e suspense. Espero ler mais obras dele. Infelizmente, ele falecera no ano passado. Mas, tem obras deixadas por ele, para leitores que gostam desse gênero. O meu livro é bem velho, algumas páginas estão saindo,a linguagem é diferente. Tem o jornal que conta o caso da Carlotta e a planta da casa onde foi feita no laboratório dentro do livro.E tem outras capas. Leiam!