08 dezembro 2016

[Resenha]: The Kiss of Deception - Mary E. Pearson

  
(...) não é bom viver no talvez. O talvez pode ser distorcido e transformado em coisas que nunca existiram de verdade. (...)



Título: The Kiss of Deception (The Kiss of Deception)
Série: Crônicas de Amor e Ódio
1- The Kiss of Deception
2- The Heart of Betrayal (2015 US)
3- The Beauty In Darkness (2016 US)
Autora: Mary E. Pearson
Editora: DarkSide Books
Páginas: 406
Ano: 2016
Sinopse:Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro? Quando se vê refugiada em um pequeno vilarejo distante o lugar perfeito para recomeçar ela procura ser uma pessoa comum, se estabelecendo como garçonete, e escondendo sua vida de realeza. O que Lia não sabe, ao conhecer dois misteriosos rapazes recém-chegados ao vilarejo, é que um deles é o príncipe que fora abandonado e está desesperadamente à sua procura, e o outro, um assassino frio e sedutor enviado para dar um fim à sua breve vida. Lia se encontrará perante traições e segredos que vão desvendar um novo mundo ao seu redor.O romance de Mary E. Pearson evoca culturas do nosso mundo e as transpõe para a história de forma magnífica. Através de uma escrita apaixonante e uma convincente narrativa, o primeiro volume das Crônicas de Amor e Ódio é capaz de mudar a nossa concepção entre o bem e o mal e nos fazer repensar todos os estereótipos aos quais estamos condicionados. É um livro sobre a importância da autodescoberta, do amor, e como ele pode nos enganar. Às vezes, nossas mais belas lembranças são histórias distorcidas pelo tempo.


    Resenha


Oi Gente! Nada como comemorar o blog de cara nova, com uma resenha fresquinha não é?! A de hoje é de um dos livros mais comentados do ano, não poderíamos deixar ler e resenhar ele aqui! Então aproveitem e boa leitura.




A trilogia "Crônicas de Amor e ódio" gira em torno de Lia, princesa que é descendente de uma forte linhagem de primeiras filhas. O que seriam as "primeiras filhas"? Todas as primeiras filhas possuem um dom especial, que as permite pressentir o perigo , só que até o momento o "dom" da princesa ainda não se manifestou. O pai dela a prometeu em casamento e quer usar o casamento da filha como artimanha política. Porém quem disse que a princesa quer casar? principalmente com alguém que ela não ama, muito menos conhece? Cansada das cobranças e de tudo que gira em torno dos deveres de ser princesa e primeira filha, ela decidi fugir no dia do seu casamento, para tentar se descobrir e entender que tipo de mulher ela quer se tornar.

(...) "As verdades do mundo desejam ser conhecidas, mas elas não se forçam sobre a gente como as mentiras fazem. Elas vão nos cortejar, sussurrar para nós, brincas por trás de nossas pálpebras, deslizar para dentro de nós e aquecer nosso sangue, dançar ao longo de nossas colunas e acariciar nossos pescoços até que a pele fique toda arrepiada."

Lia passa poucas e boas lutando pela sua vida e por um futuro diferente, porem seu encalço está o príncipe em não sabe sobre o perigo que a cerca. Um Homem rejeitado e um outro contratado para matá-la. Ambos com uma missão e nenhum deles disposto a falhar. Uma hora caminho deles vai se interligar e só Deus e o destino sabem o que vai acontecer, e quem sabe o vencedor não leve também o coração da princesa.



"(...) palavras duras vindas de uma jovem mulher como você, em oposição àquelas vindas de uma velha como eu, provavelmente farão com que seus egos ardam em chamas, em vez de domá-los. Você precisa tomar cuidado. (...)"
Esse livro estava na minha TBR faz algum tempo e comecei a ler cheia de expectativas, Demorei um pouco a pegar o ritmo, porém quando a leitura engrenou não conseguia para de ler e de me surpreender. 

Mary fez uma narrativa em primeira pessoa, com predominância de capítulos narrados por Lia, e a partir do momento em que somos apresentados aos príncipe e o assassino é que vem todo o jogo de mistério do livro, pequenos capítulos narrados por eles, nos permite ter uma visão bastante abrangente de toda a história. Com a personalidade deles bastante oscilante, você não tem ideia de quem é quem até por volta da página 300, o que te prende ainda mais na leitura.
Os olhos dele se estreitaram como se ele estivesse contemplando a gravidade do imperdoável. Era isso que eu tanto amava e tanto odiava em (...): ele me desafiava em tudo que eu dizia, mas também me ouvia com atenção. Ele me dava ouvidos como se todas as palavras que eu dissesse fossem importantes.



E o que falar dessa edição? Simplesmente linda! A Darkside se superou de novo, não deixando nada a desejar a edição gringa. O que me incomoda não só nesse livro, mas na grande maioria de livros em capa dura, é o tamanho da fonte, que acaba deixando para mim a leitura mais lenta. Fora isso edição impecável. Não vejo a hora de ler o segundo.

"Eu me perguntava como seria ter alguém que me conhecesse tão bem, alguém que me olharia direto na alma, alguém cujo o próprio toque eliminaria todos os meus outros pensamentos."