24 abril 2016

Resenha: A Herdeira - Kiera Cass


"Eu era Eadlyn Schreave. Nenhuma pessoa era tão poderosa quanto eu."
Editora: Seguinte
Nº de páginas: 361
Ano de publicação: 2015
Autora: Kiera Cass 


Sinopse: No quarto volume da série que já vendeu mais de 500 mil exemplares no Brasil, descubra o que vem depois do “felizes para sempre”. Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, filha do casal. Prestes a conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, ela não tem esperanças de viver um conto de fadas como o de seus pais… Mas assim que a competição começa, ela percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto parecia.





      Resenha

A Herdeira se passa 20 anos após o final de A Escolha, porém acaba sendo um livro independente, conta a história de Eadlyn filha mais velha de Maxon e América que por ser 7 minutos "mais rápida" ao nascer que seu irmão gêmeo Ahren acabou se tornando a herdeira do trono de Illéia.

"Nunca consegui prender a respiração por sete minutos. Nem sequer por um. Uma vez tentei correr um quilômetro e meio em sete minutos depois de descobrir que alguns atletas faziam isso em quatro, mas fracassei espetacularmente quando pontadas na lateral do abdome me deixaram exausta no meio do percurso. Contudo, há uma coisa que consegui fazer em sete minutos que a maioria das pessoas consideraria bem impressionante: me tornar rainha."


Eadly foi criada para ser rainha, com isso se tornou um pouco autoritária e até em certos momentos prepotente, se achando acima de tudo e de todos. Ela se vê em meio de um conflito, sempre quis governar sozinha porém o povo de seu país está se rebelando contra a Monarquia e a única solução encontrada pelo Rei Maxon de agradar é fazendo uma nova seleção, e encontrar um marido para a futura rainha de Illéa.

"Eu odiava quando ele falava assim do meu futuro. Como se sexo, amor e bebês não fossem coisas boas, mas deveres a ser cumpridos para manter o país nos eixos. Isso apagava qualquer traço de alegria das minhas perspectivas.De todas as coisas da vida, essas não deveriam ser as melhores partes, os prazeres mais verdadeiros?"



Uma nova seleção começa e o coração de Eadly é disputado por 35 garotos ( eu diria 36 pois um vem correndo por fora kk), ela meio que se recusa a se envolver com a seleção, mas como os outros livros da série é repleto de intrigas, diversão, romance e muita paixão.  Eadlyn acaba percebendo que não tem carismática o suficiente e que talvez se apaixonar não seja tão ruim. 
"- O que a senhorita procura em um marido?O que eu procurava? Minha independência. Paz, liberdade... Uma felicidade que julgava ter até Ahren questionar se era real.Dei de ombros.- Não sei se alguém sabe o que procura até encontrar."

A interação com os personagens dos primeiros livros são bem escritas, a pesar da cronologia deles ser de 20 anos após, é muito bom descobrir o que aconteceu no decorrer dos anos após a A Selção de Maxon e América, com personagens tão marcantes quanto Aspen.

A escrita a Kiera como sempre marcante, fluida e muito apaixonada. Ele consegue nos levar ao amor e ódio em relação a Eadly em uma única página e chegar a um clímax na ultima página do livro que nos deixa loucos para ler o ultimo livro da série.


- Quando você sabe quem é importante para você, abrir mão de algumas coisas, e mesmo de si própria, não parece um sacrifício. Há um punhado de pessoas por quem eu daria a vida sem pensar duas vezes. (…) Provavelmente existem pessoas por quem você se sacrificaria, mas ainda não sabe. Um dia saberá.”