25 janeiro 2016

Resenha: November 9 - Colleen Hoover



  Oi gente!

Hoje a nossa resenha é diferente, pois não temos só um ponto de vista sobre o livro, mas sim dois, de duas fãs da autora Colleen Hoover e que se descobriram totalmente apaixonadas por November 9.

Nós, Carol e Manu, esperamos que vocês curtam, pois estávamos loucas pra contar um pouquinho desse livro pra vocês.

"Sou translúcido, aquático. Á deriva, sem rumo. Ela é uma âncora, afundando no meu mar."-Benton james Kessler



Autora: Colleen Hoover
Editora: Atria
Páginas: 320
Ano: 2015
(Ainda sem previsão no Brasil).



Sinopse: A autora e Best-Seller do New York Times, Colleen Hoover, retorna com uma inesquecível história de amor entre um escritor e sua inesperada musa. Fallon conhece Ben, um autor aspirante, no dia em que sua mudança para o outro lado do país estava marcada. A intensa atração entre eles os leva a passar o último dia de Fallon em Los Angeles juntos, sua vida movimentada se torna a inspiração criativa que Ben sempre buscou para os seus livros. Ao longo do tempo e em meio a várias atribulações das suas vidas separadas, eles continuam a se encontrar na mesma data, todos os anos. Até que um dia Fallon começa a desconfiar se Ben tem lhe contado a verdade ou se tem fabricado uma realidade perfeita visando uma reviravolta final.
Pode o relacionamento de Ben com Fallon - e, simultaneamente, o seu livro - ser considerado uma história de amor, mesmo se terminar com corações partidos?


Resenha: 



 O livro conta a história de Fallon, uma aspirante a atriz que viu seu sonho escapar quando tinha 16 anos, após um trágico incêndio na casa de seu pai também ator. Ela foi a principal afetada, tanto fisicamente como emocionalmente.

 A jovem já com 18 anos, culpa o pai pelo incidente, ele, por outro lado, se mostra muito indiferente e na maioria das vezes preconceituoso em relação as escolhas da filha por conta da sua aparência.

"... eu olho para ele e pergunto se o pesar que vejo em seus olhos é o resultado por eu decepcioná-lo ou se ele está simplesmente atuando de novo..."

 Ben é um aspirante a escritor, que por ironia do destino acaba escutando a "conversa" de Fallon com o pai e por meio de um impulso intervém para defende-la. Sem entender muito a situação, ela acaba entrando no teatro de Ben, deixando seu pai furioso.

 Mesmo com as marcas do acidente, Ben se encanta com a beleza da jovem, e se pega querendo passar mais tempo com ela, mesmo sabendo que é a coisa errada a se fazer. Eles então resolvem passar um tempo juntos, já que Fallon está indo para Nova York naquele mesmo dia.


"Eu não digo a ela que está certa. Eu não digo a ela que é tão bonita do lado de fora, que só desejo que eu pudesse ser assim no interior."


 Só que e agora? Como dizer adeus para uma pessoa que você pouco conhece, mas que de certa forma parece tão certo estarem juntos? Como viver tudo isso sem abdicar dos seus sonhos e objetivos de vida? Eles tem apenas 18 anos, jovens demais para se entregar de cabeça em um paixão que pode ser passageira.

 Sendo assim, eles entram em um acordo, iriam se encontrar todo ano, na mesma data e no mesmo local, e iriam aproveitar aquele tempo juntos sem expectativas futuras durante 5 anos. No final, se ainda estivessem apaixonados e quisessem ficar juntos, eles ficariam.

 Durante esses 5 anos, Ben escreveria a história deles, sobre cada encontro e também sobre o que aconteceu quando não estavam juntos, e no final iria publicar esse livro.


"E se..." Ele para e me enfrenta. "E se a gente se encontrar novamente no próximo ano, no mesmo dia? e no ano seguinte? Nós vamos fazer isso por cinco anos. Mesma data, mesma hora, no esmo lugar ..."


 Você já pode imaginar o que acontece né?! Em cada encontro acontece alguma coisa errada, e eles chegam ao ponto de se perguntar se é mesmo para ficarem juntos. Será que isso tudo não é apenas uma amizade? Será que ele não está querendo apenas escrever um livro as custas dela?

 Pois é, como todo mundo sabe, a CoHo adora um drama, e November 9 tem tudo isso e muito mais.


       Carol




 November 9 foi uma das maiores, se não a maior surpresa de 2015/2016 para mim. Quando eu li a sinopse, assim que o livro foi lançado minha impressão foi logo "hum! Enredo repetido" achei que seria igual ao livro "Um dia", mas aí que eu me engano lindamente...

 Eu andava meio que frustrada com as últimas publicações da Colleen, principalmente Confess, que achei a história um pouco inacabada (mas isso é assunto para outra resenha), desde as primeiras páginas de November 9 eu consegui ver aquela mesma CoHo que me fez rir, chorar e me apaixonar lendo Slamed, Maybe Someday e um Caso perdido.

 Fallon me mostrou uma força inigualável para superar tudo e todos que apareciam, ano após ano e sempre em meio aos encontros dela com Ben. Confesso que não sei se teria estômago para suportar tudo isso, o que me fez admirar a força dela ainda mais.
" Evitar meu reflexo torna-se mais fácil a cada dia, mas eu ainda tenho um vislumbre de mim mesma quando pego uma toalha de papel. Não importa quantas vezes olho no espelho, ainda não me acostumei com o que vejo."
 E o Ben?! Me apaixonei por ele desde o momento que ele sentou na mesa de Fallon para defender ela do próprio pai. Me peguei chorando com ele e por ele quando os encontros não davam certo e quando ele descobriu que talvez ela nunca mais o perdoasse, o que seria muito compreensível.

 Sabe aquela opinião de enredo repetido lá do começo? Foi toda por água a baixo. E me peguei querendo saber mais e mais sobre eles, e querendo esse livro nas minhas mãos para virar livro de cabeceira.

 Uma história de Amor, amizade, aprendizado e principalmente de perdão, com aquele algo mais que só a Colleen Hoover sabe fazer.

Manu  



 Bom pessoal, eu sou totalmente suspeita pra falar sobre qualquer trabalho da Colleen, sou apaixonada pela sua forma de escrita, mas confesso que depois de Ugly Love ( no Brasil O Lado Feio do Amor ),senti falta dessa explosão de emoções que só a CoHo consegue passar em seus livros.

 Como bem disse a Carol, Confess foi um livro bom, mas que, de certa forma foi vago, senti falta do modo "CoHo" de escrita, mas quando li November 9, livro esse tão aguardado por mim, aquela chama se acendeu sabe? Aquela vontade e necessidade insana de ler e ler cada página, cada capitulo mais e mais que acabei o livro em um dia.

 Fallon e Ben são personagens incríveis, que passaram por momentos horríveis na vida, mas que, de certa forma, encontraram um no outro a força que precisavam. A confiança e o laço que os dois criaram com apenas um dia os fez melhores, principalmente Fallon, uma garota que por uma circunstância horrível, ficou com marcas que carregaria consigo para sempre. Não que ela fosse uma garota pra baixo por causa disso, mas o "acordo" entre ela e Ben funcionou bem a ela.

 E o Ben? Ah o Ben, me sinto apaixonada por ele, tipo o cara chega, senta na sua mesa e te defende do seu pai babaca que tem "preconceito" de sua própria filha, como não amar? Eu sofri muito com ele, eles tinham em um ano inteiro, apenas um dia pra se verem, se falarem enfim, e todo 9 de novembro alguma merda acontecia (desculpem o termo, mas nada expressa melhor) nunca dava certo. E quando o segredo de Ben veio a tona, ele pensou que a garota que ele amou, naquele 9 de novembro, nunca mais fosse perdoá-lo, eu fiquei em prantos.
"Eu fecho os olhos para que não tenha que ver o seu reflexo no espelho. Eu deixo cair a cabeça entre os ombros e acabo de começar a chorar."
 Como todo livro da Colleen passa um tipo de ensinamento para os leitores, esse não é diferente, pois em meio as circunstâncias eles tem que aprender a liberar o perdão, a se amar, ser amigos e principalmente, a confiar um no outro.

 November 9 é, sem duvidas um dos melhores livros que já li, e já quero desesperadamente uma continuação.

 Obrigada Colleen, por esse livro maravilhoso.

"Destino. Uma palavra que significa destino. Destino. Uma palavra que significa descrença."- Benton James Kessler